logo

ISSN 0325-2957
versão impresa
ISSN 1851-6114
versão online
ISSN 1852-396X
versão CD-ROM

Instruções aos autores

 

Escopo e política editorial

1. Generalidades
A experiência coletada na aplicação das Normas até hoje vigentes para a publicação por parte de colaboradores na Acta Bioquímica Clínica Latinoamericana (ABCL) juntamente com informações bibliográficas internacionais, serviram de base para a elaboração desta nova versão, ampliada e corrigida.
Tem se observado com freqüência que as colaborações enviadas não são apresentadas de acordo com as instruções fornecidas. E mais, em muitos casos a apresentação no guarda relação com sua categoria.
Como todas as colaborações recebidas são enviadas aos responsáveis pela avaliação, a apresentação deve ser impecável. Caso contrário a Comissão de Redação deve proceder a corrigi-las, quando isso é possível, com a conseqüente perda de tempo e atraso das publicações.
O seguimento das normas aqui apresentadas facilitará as tarefas a serem realizadas entre o recebimento e a publicação.
Os autores são convidados a apresentar suas dúvidas à Comissão de Redação.
2. Escopo da publicação
ABCL publica colaborações científicas aplicáveis direta ou indiretamente na área da Bioquímica Clínica e orientadas a compreender melhor o funcionamento do organismo humano em estado de saúde ou de doença.
Eis as classes de colaborações:
2.1. Originais
São contribuições inéditas que visam a ampliar o conhecimento científico, com objetivos práticos ou sem eles. Serão apresentados com a informação necessária de forma tal que possam ser reproduzidos pelos interessados. Também serão incluídas nesta seção as contribuições teóricas que signifiquem novas ou diferentes abordagens de um tema em particular.
2.2. Comunicações breves ou preliminares
Fornecerão novidades científicas em estudos iniciais e requererão ampliações posteriores, já que a informação apresentada é insuficiente e é necessário continuar o trabalho.
2.3. Não originais
Dentro desta categoría são incluídas as atualizações, fichas técnicas, comentários bibliográficos e Cartas ao Diretor. Todas estas colaborações deverão ser apresentadas de acordo com as normas indicadas acima.

As colaborações serão submetidas a uma avaliação preliminar por parte da Comissão de Redação, a qual designará dois avaliadores anônimos, especialistas no tema. A Comissão, depois de receber as respectivas avaliações, procederá a elaborar o relatório final no qual se fundamentarão as decisões a serem tomadas:
a) Aprovação.
b) Solicitação de modificações ao/aos autor/es.
c) Rejeição.
Se a colaboração for rejeitada, o autor receberá uma cópia do relatório que produziu a decisão. Nesse caso, o autor poderá apelar a medida, fundamentando sua discrepância.
 

 

Forma e preparação de manuscritos

Os trabalhos devem ser apresentados em folhas tamanho ofício (24 x 34 cm) sem logotipo, escritas unicamente numa face do papel, com margem esquerda de 5 cm, em espaço duplo, com numeração de páginas no ângulo superior direito e utilizando máquina de escrever com tipos limpos e fita bem entintada. Irão em anexo aos originais duas cópias completas, incluindo quadros (que serão numerados com arábicos), tabelas (que serão numeradas com romanos) e ilustrações.

1. PRIMEIRA PÁGINA

Apresentará a seguinte informação:
1.1. Título: deverá ser conciso e informativo. Não deverá exceder, no possível, os 100 caracteres, incluídos os espaços. Se não fosse possível observar esses requerimentos, o autor tratará de dividi-los em título e subtítulo. Não utilizar abreviaturas, nem símbolos ou fórmulas químicas, salvo para indicar um composto marcado.
1.2. Deverá constar o título em inglês.
1.3. Nome completo do autor/es acompanhado de seu nível acadêmico mais alto.
1.4. Endereço completo do lugar/es onde foi realizado o trabalho.
1.5. Endereço completo para onde deverá ser enviada a correspondência.

2. SEGUNDA PÁGINA

2.1. Resumo:nesta página se incluirá um Resumo de não mais de 200 palavras. Deverá ser redigido de maneira concisa, limitando-se a descrever os seguintes tópicos:
  a) Objetivo do estudo.
  b) O que foi feito e os métodos científicos utilizados.
  c) Principais resultados.
  d) Conclusões mais importantes.

É preciso ter presente que o resumo de um trabalho é a parte mais lida e o leitor deve resultar suficientemente informado como para decidir se está totalmente interessado. Também facilita o trabalho das publicações especializadas em resumos analíticos. Comentários que não se refiram aos tópicos enunciados acima deverão ser evitados, a menos que seja absolutamente indispensável.
O autor deverá pressupor que o leitor possui certo conhecimento do tema, mas que não leu o artigo e não precisa recorrer a ele para saber de que se trata.
Não se deve abusar do ponto à linha, e deverá ser redigido de modo impessoal.

2.2. Summary: deverá ser apresentado aqui um Resumo em inglês de características similares às indicadas para o Resumo em espanhol.
Em geral foram observados sérios problemas na elaboração do Summary, fundamentalmente porque há uma tendência a traduzir literalmente ao inglês o resumo escrito em espanhol, usando expressões totalmente carentes de sentido nesse idioma. É recomendável que este resumo seja redigido com a ajuda de uma pessoa que domine perfeitamente o inglês.
É preciso pensar que se o resumo é a parte do trabalho que mais se lê, nos países que não se fala espanhol, possivelmente seja a única parte que será lida, portanto, o texto deve ser claro, conciso e informativo.

2.3. Palavras-chave: depois do Resumo e do Summary serão enunciadas até 10 palavras-chave, no idioma correspondente, as quais deverão ser escolhidas lembrando que palavra-chave é um elemento gramatical (palavra ou grupo de palavras) que transmite o tema discutido no documento.
Isso permite classificar com facilidade tal documento para elaborar um sistema de indexação. Solicitam-se várias palavras-chave (até 10) já que num determinado trabalho podem confluir vários temas representativos.
As palavras-chave serão ordenadas levando em conta a importância decrescente que tiver no trabalho o tema a que se referir cada una; será utilizado um asterisco como separador entre palavras ou grupos de palavras-chave.

3.TEXTO

Recomenda-se respeitar a seguinte ordem de apresentação:
  Introdução.
  Materiais e métodos
  Resultados.
  Discussão e conclusões.

Os trabalhos extensos podem ser divididos em subseções.
A redação deverá ser gramaticalmente correta, sem utilizar neologismos nem frases ou palavras vulgares. A experiência indica que isso nem sempre se cumpre e em certos casos produz inconvenientes muito difíceis de salvar no sentido de que a correção toma-se impossível. Deverá ser evitada a redação com linguagem rebuscada e trechos extensos. Deverá ser mantida a coerência, a forma gramatical e o tempo verbal ao longo de todo o texto. É preciso levar sempre em consideração que se trata de comunicar informação científica e para atingir esse objetivo é necessário se expressar com precisão, clareza e simplicidade.

4. INTRODUÇÃO

Deverão ser explicitados aqui o propósito e a importância do trabalho e será razoavelmente extenso como para apresentar um panorama do estado atual do tema, referências mais importantes e problemas que se busca resolver.
Uma introdução muito extensa devido a informação não relevante leva o leitor a passar ao seguinte ponto, evitando sua leitura.

5. MATERIAIS E MÉTODOS

Aqui se deve comunicar tudo o que for necessário saber para reproduzir a experiência com iguais ou melhores resultados.
Deve ser possível, com tal informação, fazer uma lista do que é necessário, incluindo números de catálogo ou artigos para as drogas ou reagentes, tipo e marca de aparelhos ou instrumentos e acessórios.
Citar os métodos utilizados e esclarecer de maneira detalhada as possíveis modificações, se houver. Não serão aceitos como originais os trabalhos que estiverem baseados em comunicações pessoais ou informação secreta. O tratamento estatístico deve ser explicitado mencionando o número de observações, de testes utilizados e o nível de significação.

6. RESULTADOS

Serão apresentados com clareza, simplicidade e numa ordem lógica. Poderão incluir tabelas, gráficos, figuras e fotografias, evitando repetir no texto o que eles mostram.

6.1. Tabelas, figuras, gráficos e fotografias
    A localização das tabelas, figuras, gráficos e fotografias deve ser claramente indicado no texto. Serão apresentados por separado, numerados correlativamente.
6.1.1. Tabelas: deverão ser inteligíveis sem necessidade de recorrer ao texto. O título deverá ser descritivo.
6.1.2. Figuras: quando for necessário, deverão ser elaboradas por um desenhista. Serão apresentadas em preto e branco, devendo ser matizadas com gamas de cinzas realizadas com base na densidade de pontos. O tamanho será o adequado para que na redução no se percam detalhes ou o texto fique muito pequeno.
6.1.3. Gráficos: não se deverão realizar sobre papel milimetrado. Serão feitos sobre fundo branco, com linhas negras. O objetivo do gráfico é exemplificar o comportamento determinado de variáveis. Deve ser simples e ilustrativo. Os gráficos com muitas curvas perdem clareza. Colocar, portanto, apenas aquelas que são significativas. É conveniente que os gráficos sejam realizados por um desenhista especializado. Gráficos feitos à mão livre não serão aceitos.
    As legendas na parte inferior serão suficientemente explicativas, e se utilizarão, cajo sejam necessários, símbolos claros para identificar pontos especiais ou que exijam serem individualizados.
6.1.4. Fotografias: recomenda-se que sejam tiradas por especialistas, e copiadas sobre papel brilhante em preto e branco. Fotografias a cores serão aceitas quando seu uso estiver justificado.

7. DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

Não repetir resultados descritos anteriormente. Ressaltar as principais descobertas e as conclusões que deles decorrerem. Conferi-los com os resultados obtidos por outros autores. Correlacionar os resultados com o objetivo do estudo e evitar conclusões que não estiverem devidamente justificadas pela experiência realizada.

8. AVALIAÇÃO DE MÉTODOS ANALÍTICOS

Os trabalhos científicos que corresponderem a métodos analíticos originais ou modificações de originais, incluirão uma seção que corresponda à avaliação de tais métodos.
É aconselhável que essa seção compreenda, como mínimo, os seguintes estudos:

8.1. Precisão:
8.1.1. Dentro de uma mesma série (repetibilidade).
8.1.2. Entre séries (reprodutividade).
8.2. Exatidão: deve ser avaliada idealmente contra um método de referência, quando houver. No caso contrário deverão ser realizados estudos de recuperação.
8.3. Linearidade: deve abranger a faixa de importância clínica.
8.4. Estudo de especificidade.
8.5. Estudo das interferências.

Em geral, recomenda-se seguir o esquema de avaliação de métodos analíticos sugerido pela I.F.C.C.
Butner, J.; Borth, R.; Boutwell, J. H.; Broughton, P. M. G. (1979 a).
Approved Recommendation on Quality Control in Clinical Chemistry. Part 2. Assessment of Analytical Methods for Routine Use. Clin. Chim. Acta 98. F 145-F 162.

9. UNIDADES

É requerido que os dados expressados se ajustem estritamente ao Sistema Internacional de Unidades (SI). Os senhores autores devem lembrar que utilizamos a numeração espanhola, portanto, os decimais serão indicados com vírgula e os milhares com ponto; cuidar que constem assim tanto no texto quanto nos quadros, tabelas e gráficos. Além disso, insistimos em usar, tal como o SI indica, os símbolos e não as abreviaturas para as unidades. Assim, será 5,2 ml e não 5.2 mlts.; 5,3 cm e não 5.3 cm.; 0,5 pg e não 0.5 pgr.; etc.

10. AGRADECIMENTOS

Deverão ser breves e concretos.

11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

As Referências Bibliográficas serão apresentadas ao finalizar o trabalho e serão citadas com um número correlativo à ordem com que aparecerem no texto, correspondendo o número 1 à primeira.
Se uma referência deve ser citada mais de uma vez no texto, deverá ser mantido o menor número de ordem, que corresponde à primeira citação dessa referência. Solicita-se que o número de referência no texto, seja sublinhado e colocado entre parênteses.
Não serão aceitas citações de trabalhos que não vierem a ser publicados, relatórios verbais ou comunicações pessoais.
Serão aceitas aquelas comunicações pessoais que estejam fundamentadas numa nota de autorização para usar essa comunicação e que esteja disponível para o interessado.

12. PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS E LIVROS

Artigos de revistas científicas

  • Artigo ordinário de revista Autor/es. Título do artigo. Abreviatura internacional da revista ano; volume (número): página inicial-final do artigo. Incluir os primeiros seis autores seguido de "et al" Vega KJ, Pina I, Krevsky B. Heart transplantation is associated with an increased risk for pancreatobiliary disease. Ann Intern Med 1996 Jun 1; 124 (11): 980-3. Como opção, se uma revista utilizar a paginação contínua ao longo de um volume (como fazem muitas revistas de medicina), poderá ser omitido o mês e o número. Vega KJ, Pina I, Krevsky B. Heart transplantation is associated with an increased risk for pancreatobiliary disease. Ann Intern Med 1996; 124: 980-3. Mais de seis autores: Parkin DM, Clayton D, Black RJ, Masuyer E, Friedl HP, Ivanov E, et al. Childhood leukaemia in Europe after Chernobyl: 5 year follow-up. Br J Cancer 1996; 73: 1006-12.
  • Autor corporativo The Cardiac Society of Australia and New Zealand. Clinical exercise stress testing. Safety and performance guidelines. Med J Aust 1996; 164: 282-4.
  • Não se indica o nome do autor Cancer in South Africa (editorial). S Afr Med J 1994; 84: 15.
  • Artigo em idioma estrangeiro Neste artigo entende-se por "estrangeiro" um idioma diferente do inglês. Ryder TE, Haukeland BA, Solhaug JH. Bilateral infrapatellar seneruptur hos udligere trisk kvinne. Tidsskr Nor Laegeforen 1996; 116: 41-2.
  • Suplemento de um volume Shen HM, Zhang QF. Risk assessment of nickel carcinogenicity and occupational lung cancer. Environ Health Perspect 1994; 102 Supl 1: 275-82.
  • Suplemento de um número Payne DK, Sullivan MD, Massie MJ. Women’s psychological reactions to breast cancer. Semin Oncol 1996; 23 (1 Supl 2): 89-97
  • Parte de um volume Osben T, Nacitarhan S, Tuncer N. Plasma and urine sialic acid in non-insulid dependent diabetes mellitus. Ann Clin Biochem 1995; 32 (Pt 3): 303-6.
  • Parte de um número Poole GH, Mills SM. One hundred consecutive cases of flap lacerations of the leg in ageing patients. N Z Med J 1994; 107 (986 Pt 1): 377-8.
  • Número sem volume Turan I, Wredmark T, Fellanter-Tsai L. Arthroscopic ankle arthodesis in rheumatoid arthritis. Clin Orthop 1995; (320): 110-4.
  • Sem número nem volume Browell DA, Lennard TW. Immunologic status of the cancer patient and the effets of blood transfusion on antitumor responses. Curr Opin Gen Surg 1993; 325-33.
  • Paginação em números romanos Fisher GA, Sikic BI. Drug resistance in clinical oncology and hematology. Introduction. Hematol Oncol Clin North Am 1995 Apr; 9 (2): xi-xii
  • Indicação do tipo de artigo, conforme corresponda Enzensberger W, Fischer PA. Metronome in Parkinson’s disease [carta]. Lancet 1996; 347: 1337. Clement J, De Bock R. Hematological complications of hantavirus nephropathy (HVN) [resumo]. Kidney Int 1992; 42: 1285.
  • Artigo que contém uma retractação Garey CE, Schwarzman AL, Rise ML, Seyfried TN. Ceruloplasmin gene defect associated with epilepsy in EL mice [retractación de Garey CE, Schwarzman AL, Rise ML, Seyfried TN. En: Nat Genet 1994; 6: 426-31]. Nat Genet 1995; 11: 104.
  • Artigo retirado por uma retractação Liou GI, Wang M, Matragoon S. Precocious IRBP gene expression during mouse development [retractação em Invest Ophthalmol Vis Sci 1994; 35: 3127]. Invest Ophthalmol Vis Sci 1994; 35: 1083-8.
  • Artigo sobre o qual foi publicado uma fé de erratas Hamlin JA, Kahn AM. Herniography in symptomatic patients following inguinal hernia repair [fé de erratas publicada em West J Med 1995; 162: 278].West J Med 1995; 162: 28-31.
  •  

Livros e outras monografias
Autor/es. Título do livro. Edição. Lugar de publicação: Editorial; ano.

  • Indivíduos como autores Ringsven MK, Bond D. Gerontology and leader-ship skills for nurses. 2nd. ed. Albany (NY): Delmar Publishers; 1996.
  • Diretores (editores) ou compiladores como autores Norman IJ, Redfern SJ, editores. Mental health care for elderly people. New York: Churchill Livingstone; 1996.
  • Organização como autor e editor Intitute of Medicine (US). Looking at the future of the Medicaid program. Washington (DC): The Institute; 1992.
  • Capítulo de livro Phillips SJ, Whisnant JP. Hypertension and stroke. Em: Laragh JH, Brenner BM, editors. Hypertension: pathophysiology, diagnosis and management. 2nd. ed. New York: Raven Press; 1995. p. 465-78.
  • Atas de conferências Kimura J, Shibasaki H, editores. Recent advances in clinical neurophysiology. Proceedings of the 10th International Congress of EMG and Clinical Neurophysiology; 1995 Oct 15-19; Kyoto, Japan. Amsterdam: Elsevier; 1996.
  • Artigo apresentado numa conferência Bengtsson S, Solheim BG. Enforcement of data protection, privacy and security in medical informatics. Em: Lun KC, Degoulet P, Piemme TE, Rienhoff O, editores. MEDINFO 92. Proceedings of the 7th World Congress on Medical Informatics; 1992 Sep 6-10; Geneva, Switzerland, Amsterdam: North-Holland; 1992.p. 1561-5.
  • Relatório científico ou técnico Publicação por agência subvencionadora/patrocinadora: Smith P, Golladay K. Payment for durable medical equipment billed during skilled nursing facility stays. Final report. Dallas (TX): Dept. of Health and Human Services (US), Office of Evaluation and Inspeccions; 1994 Oct. Report No.: HHSIGOEI69200860. Número por agência patrocinadora: Field MJ, Tranquada RE, Feasley JC, editores. Health services research: work force and educational issues. Washington: National Academy Press; 1995. Contract No.: AHCPR282942008. Sponsored by the Agency for Health Care Policy and Research.
  • Tese de doutorado Kaplan SJ. Post-hospital home health care: the elderly’s access and utilization [dissertation]. St. Louis (MO): Washington Univ.; 1995.
  • Patente Larsen CE, Trip R, Johnson CR, inventors; Novoste Corporation, assignee. Methods for procedures related to the electrophysiology of the heart. US patent 5, 529, 067. 1995 Jun 25.

Outros trabalhos publicados

  • Artigos de periódico Lee G. Hospitalizations tied to ozone pollution: study estimates 50,000 admissions annually. The Washington Post 1996 Jun 21; Sect. A: 3 (col. 5).
  • Material audiovisual HIV+/AIDS: the facts and the future [videocassete]. St. Louis (MO): Mosby-Year Book; 1995.
  • Documentos legais
    Direito público:
    Preventive Health Amendments of 1993, Pub. L. No. 103-183, 107 Stat. 2226 (Dec. 14, 1993).
    Projeto de lei não decretada:
    Medical Records Confidentiality Act of 1995, S. 1360, 10th Cong., 1 st Sess. (1995).
    Código de Regulamentações Federais:
    Informed Consent, 42 C.F.R. Sect. 441.257 (1995).
    Audiências:
    Increased Drug buse; the Impact on the Nation’s Emergency Rooms: Hearings before the Subcomm. on Human Resources and Intergovernmental Relations of the House Comm. on Government Operations, 103rd Cong., 1 st Sess. (May 26, 1993).
  • Mapas North Carolina. Tuberculosis rates per 100,000 population, 1990 (demographicmap). Raleigh: North Carolina Dept. of Environment, Health, and Natural Resources. Div. of Epidemiology; 1991.
  • Livro da Bíblia The Holy Bible. King James version. Grand Rapids (MI): Zondervan Publishing House; 1995. Ruth 3: 1-18.
  • Dicionário e referências similares Stedman’s medical dictionary. 26th.ed. Baltimore: Williams & Wilkins; 1995. Apraxia; p. 119-20.
  • Obras clássicas The Winter’s Tale: act 5, scene 1, lines 13-16. The complete works of Williams Shakespeare. London: Rex; 1973.

Trabalhos inéditos

  • No prelo Leshner AI. Molecular mechanisms of cocaine addiction. N Engl J Med. No prelo 1997.
    Material eletrônico
  • Artigo de revista em formato eletrônico Morse SS. Factors in the emergence of infectious diseases. Emerg Infect Dis [serial online] 1995 Jan-Mar [cited 1996 Jun 5]; 1 (1): [24 screens]. Available from: URL: http://www.cdc.gov/ncidod/EID/eid.htm.
  • Monografia em formato eletrônico CDI, clinical dermatology illustrated [monograph on CD-ROM].Reeves JRT, Maibach H. CMEA Multimedia Group, proceducers. 2nd. ed. Version 2.0. San Diego: CMEA; 1995.
  • Arquivos em computador Hemodynamics III: the ups and downs of hemodynamics [computer program]. Version 2.2. Orlando (FL): Computerized Educational Systems; 1993.

13. ATUALIZAÇÕES

Serão consideradas dentro desta categoria as colaborações que reúnam, analisem e discutam informações já publicadas, referidas a um tema em particular. Aos efeitos de sua indexação, deverão constar: Resumo, Summary, palavras-chave em espanhol, key words e título em inglês.

14. COMENTÁRIOS BIBLIOGRÁFICOS

É uma comunicação breve sobre o conteúdo de uma obra, em geral, de um livro. Tem como objetivo a divulgação da informação, bem como servir de apoio para a seleção bibliográfica. Pode ter caráter descritivo ou crítico, segundo o critério do autor.
Consta de três partes: 1) cabeçalho, 2) texto, e 3) autoria.
O cabeçalho é a descrição bibliográfica da obra, que, se for possível, deverá incluir:

    * Título propriamente dito.
    * Primeiro lugar de publicação, editora, data de publicação.
    * Número de volumes ou páginas, ilustrações, dimensões.
    * (Título de série/responsável pela série, ISBN de série, numeração de série. Título de subsérie/responsável pela subsérie, ISBN de subsérie, numeração de subsérie.)
    * Notas especiais
    * Preço.

O texto deverá ter uma extensão de não mais de 400 palavras. A autoria deverá ser indicada segundo a seguinte modalidade:
    - Nome e sobrenome completo.
    - Local de trabalho.
    - Cidade.
    - Estado / Província.
    - País.

15. FICHAS TÉCNICAS

Serão publicadas com esta denominação as colaborações que apresentarem um método de trabalho com o qual tiver experiência. Em geral, busca-se que a ficha, além de conter toda a informação necessária para ser levada à prática, inclua comentários que visem a facilitar o desenvolvimento metodológico da técnica apresentada.
Deverá estar acompanhada dos dados completos do autor, citação original do método e bibliografia pertinente.

16. CARTAS AO DIRETOR

Esta seção poderá ser utilizada para pôr a consideração dos leitores, pontos de vista referidos a trabalhos já publicados ou comentar experiências científicas pessoais que o autor julgar de interesse para outros profissionais.
Não terão mais de 400 palavras e serão enviadas junto com os dados completos do autor.

17. SEPARATAS PARA OS AUTORES

Serão entregues 40 exemplares gratuitamente. Quantidades maiores deverão ser solicitadas à Editora no momento de apresentação do trabalho, arcando o solicitante com as despesas ocasionadas.

18. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Oferecemos esta bibliografia que fornecerá dados e abundará em conceitos sobre tudo o exposto nas nossas Recomendações.
- Guia para a redação de artigos científicos, destinados à publicação, UNESCO, Organização Internacional de Unificação de Normas, Genebra, Secretaria da ISO.I, Tue Varembé, Genebra, Suíça.
- Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals International Steering Committee, 1979, Anals of Internal Medicine, 90: 95-99.
- BERTELLO, L. F., Sistema Internacional de Unidades. Su aplicación en el área de la salud, EUDEBA, Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1980.
- DYBKAER, R. y JORGENSEN, K., Magnitudes y Unidades en Química Clínica, Manuales EUDEBA, Buenos Aires, 1971.
- BARROUSSE, A. P., "El reglamento de publicaciones, los autores y las secretarías Editoriales", Medicina. 41 (1),107-111,1981.
- Information for authors, Clinical Chem., 28/1, 1/4, 1982.
- IUPAC-IFCC, Approved Recommendation, 1978.
- "Quantities and Units in Clincal Chemistry", Clin. Chim. Acta, 96 (157-185),1979.
- "List of Quantities in Clinical Chemistry", Clin. Chim. Acta, 1979,96 (185-214).
 

 

Envio de manuscritos

A apresentação de trabalhos implica o compromisso do autor de que o material apresentado não foi nem será publicado em outros meios de difusão, estrangeiros ou nacionais. As colaborações deverão ser enviadas por correio certificado com aviso de recebimento a:
Acta Bioquímica Clínica Latinoamericana
Secretaría
Calle 6 Nº 1344
—1900— LA PLATA

Serão entregues 40 exemplares gratuitamente. Quantidades maiores deverão ser solicitadas à Editora no momento de apresentar o trabalho, arcando o solicitante com as despesas ocasionadas.
 

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo Editorial] [Assinaturas]


2014 Federación Bioquímica de la Provincia de Buenos Aires

Calle 6 - No. 1344 - 1900 La Plata - Prov. de Buenos Aires - República Argentina
Tel./Fax: (54) (221) 483-8821/483-7281/423-0252/423-3597

www.faba.org.ar

logo
actabioq@fbpba.org.ar

SciELO Argentina URL: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_serial&pid=0325-2957&lng=pt&nrm=iso