logo

ISSN 0327-5477
versão impresa
ISSN 1667-782X
versão online
1667-7838
versão inglês

Instruções aos autores

 

Escopo e política editorial

Ecología Austral é a revista científica da Asociación Argentina de Ecología. Publica artigos científicos originais em qualquer ramo das ciências ambientais. Os artigos podem ser
1. Trabalhos originais: resultados de pesquisa científica teórica, experimental ou de campo que signifiquem uma contribuição original ao conhecimento em ecologia,
2. Revisões ou atualizações: resume o estado atual do conhecimento sobre um tema,
3. Comunicações breves: trabalhos de menor tamanho mas que representam um avanço significativo no conhecimento ou no desenvolvimento de uma metodologia,
4. Discussões: apresentam pontos de vista desde a teoria e/ou a metodologia em ecologia, respaldados e fundamentados por elementos técnicos e/ou bibliográficos, e
5. Ajudas didáticas (só em espanhol): colaborações breves sobre temas habitualmente encontrados nos currículos de Ecologia, destinados a ser material de leitura para alunos de grau.
Os artigos são revistos por pares, recorrendo ao menos a dois árbitros. O processo de arbitragem será confidencial, a menos que algum árbitro prefira o contrário. O Editor devolverá aos autores, sem passar pelo processo de arbitragem, aqueles manuscritos que não se ajustem às normas de preparação ou que não coincidam com os propósitos e orientação de Ecología Austral.
Os artigos de trabalhos originais deverão ter uma longitude máxima de aproximadamente 30 páginas. Os trabalhos de Revisão, de Debates, de Ajudas didáticas e as Comunicações breves devem ser de uma longitude máxima de aproximadamente 20 páginas. Os manuscritos deverão estar escritos em espanhol, inglês ou português. Os autores deverão enviar uma versão em outro idioma do título, resumo, palavras chave e epígrafes de tabelas e figuras: em inglês se o trabalho é em espanhol ou português, ou em espanhol se o manuscrito é em inglês.
Só serão recebidos os manuscritos em forma eletrônica, em arquivos de processador de textos (na medida do possível utilize Microsoft Word ou WordPerfect). Os manuscritos devem ser enviados em dois formatos diferentes: no formato nativo por defeito (e.g., ".doc" para Microsoft Word ou ".wpd" para WordPerfect) e no formato RTF ("Rich Text Format", disponível na opção "Salvar como" na maior parte dos processadores de texto).
Os manuscritos também serão avaliados por pares pela modalidade eletrônica para abreviar os tempos de revisão. Ajuste seu documento ao tamanho de papel A4, com todas as margens de 2.5 cm e todas as páginas numeradas. As figuras e tabelas devem ser armadas, inseridas ou coladas no mesmo documento (no final), cada uma numa folha diferente e junto a seu epígrafe (ver detalhes em Tabelas e Figuras).
As provas de impressão serão enviadas por correio eletrônico ao autor pouco antes da impressão da revista, como um arquivo em formato "Adobe Acrobat portable document" (PDF). O arquivo Acrobat mantém a tipografia, o desenho de página e a informação dos gráficos e imagens; pode ser enviado em forma eletrônica, revisto na tela e impresso na maior parte dos sistemas operacionais.
Para poder ver estes arquivos precisa o leitor gratuito "Adobe Acrobat Reader"; se o autor não o tivesse disponível em seu equipamento, pode "descarregá-lo" e instalá-lo gratuitamente a partir do endereço www.adobe.com/products/acrobat/readermain.html.
As provas de impressão podem evidenciar algumas modificações menores realizadas para cumprir com padrões científicos, técnicos, de estilo ou gramaticais, e são revistas antes de serem enviadas aos autores; entretanto, é responsabilidade exclusiva dos autores revisar com cuidado as citações, fórmulas, possíveis omissões no texto, etc.
Os autores deverão enviar suas correções antes de uma semana de enviadas as provas de impressão; do contrário, o manuscrito será impresso como está nas provas de impressão.

 

 

Forma e apresentação de Manuscritos

Folha de Rosto: Títulos e Autores
A folha deverá ter:
1. o título completo do trabalho (não deve estar totalmente em maiúsculas e deve ser o mais breve possível) no idioma original e em inglês (no caso de trabalhos em inglês, no idioma do trabalho e em espanhol);
2. lista de autores com seu nome completo, afiliação, endereço postal e correio eletrônico, identificando o autor com o qual o Editor manterá a correspondencia; e
3. título breve ou cabeçalho (não mais de 50 caracteres incluindo espaços),
4. palavras chave (Devem ser incluídas numa lista de até 10 palavras chaves. Termos compostos são considerados uma palavra chave. As palavras chave não devem repetir palavras que se encontram no título. A lista de palavras chave deve ser enviada no idioma original do trabalho e em inglês. Se o idioma original do trabalho está em inglês, por favor inclua as palavras chaves em inglês e espanhol).
Se o endereço institucional atual dos autores fosse diferente da afiliação institucional do autor durante o período quando foi realizada a maior parte ou todo o estudo, isto deve constar como uma nota no final da folha de rosto.
Resumo
O resumo deve limitar-se a salientar o propósito do estudo, os resultados mais importantes e as conclusões principais. O resumo no idioma do manuscrito deve ter um número de palavras de aproximadamente 6–7% do número de palavras do texto principal e epígrafes (i.e., sem Bibliografia nem resumos).
Também deve ser incluído um resumo no idioma que não é o do manuscrito (em inglês se o texto do manuscrito está em espanhol ou português, ou em espanhol se o texto do manuscrito está em inglês). Este segundo resumo pode ser um pouco mais detalhado e deve ter um número de palavras de aproximadamente 10–12% do número de palavras do texto. Não inclua referências bibliográficas nos resumos.
Texto
Escreva com precisão, clareza e economia. Tente usar a voz ativa e a primeira pessoa (a voz passiva é preferível ao descrever métodos e resultados; a voz ativa pode ser usada para enfatizar uma opinião pessoal, tipicamente na Introdução e na Discussão).
Use uma tipografia serif comum (Times New Roman ou equivalente) e um tamanho de letra de 12 pontos. Utilize espaço duplo entre linhas. Numere todas as páginas, incluindo folha de rosto, bibliografia, agradecimentos, tabelas e figuras. Não use recuos no início dos parágrafos ou títulos. Use alinhamento à esquerda e não separe palavras mediante travessões no final das linhas. Não use o retorno ("enter" ou "return") no final de cada linha dentro de um parágrafo. Use dois retornos no final dos parágrafos (i.e., uma linha vazia entre parágrafos). Use a pontuação em forma consistente; insira apenas um espaço entre palavras e depois dos sinais de pontuação.
Tente não usar mais de dois níveis de títulos para organizar o texto, e definitivamente não mais de três. Pode usar os títulos e subtítulos que ache necessários. Os  títulos recomendados são (respeitando a ordem):

  • Introdução,
  • Métodos,
  • Resultados,
  • Discussão,
  • Agradecimentos, e
  • Bibliografia.

Em particular procure manter separadas as seções Resultados e Discussão. Escreva os títulos (em maiúsculas) e os subtítulos em linhas separadas do resto do texto. Se usa um terceiro nível de títulos, escreva-o sublinhado no mesmo parágrafo que o texto a seguir. Procure que sejam o suficientemente breves como para entrar numa coluna (aproximadamente 30 caracteres, incluindo espaços, para os títulos e 40 caracteres para os subtítulos).
Não se devem utilizar notas de rodapé (podem incorporar-se ao texto, entre parênteses se for necessário). Use "e.g.," (por exemplo), "i.e.," (isto é) e "et al." (e colaboradores), sem itálico.
Para instruções de como citar a bibliografia no texto, veja o ponto Bibliografia.
Nomes Científicos
Em sua primeira menção, use os nomes científicos completos (inclusive quando já estão no título) com sua autoridade correspondente (ou cite um trabalho de referência onde ela possa ser consultada); os nomes genéricos podem ser abreviados a uma letra daí em diante (ou a duas letras se for necessário) sempre que não confunda.
Se tivesse limitações de espaço em tabelas ou figuras, pode precisar do uso de um "código" (como as primeiras letras do gênero e da espécie) que deverão estar em itálico, como o nome científico original. Nesse caso o código deve ser identificado na legenda ou, se fossem demasiados, num apêndice no final.
Números, símbolos e fórmulas
Use o "." (ponto) como símbolo decimal. Não separe os números em milhares. Use um zero inicial (à esquerda) para todos os números <1, incluindo os valores de probabilidade (e.g., P< 0.001).
Os números do zero ao nove devem ser escritos em letras no texto, exceto quando acompanham unidades de medida ou percentuais (e.g., duas árvoles, 12 espécies, 5 segundos, 3.5%). No início das frases escreva sempre o número em letras (e.g., "Trinta e dois dispositivos foram...").
Use o formato horário de 24 horas, com ":" (dois pontos) como separador (e.g., 15:45 h). Use dia/mês/ano como formato de data (e.g., 25 setembro 2000, ou 25/09/00 se for necessário em tabelas ou figuras). Escreva os anos em forma completa (e.g., "1994–2000").
Defina todos os símbolos, abreviaturas e acrônimos a primeira vez que são usados. No texto, quando uma só unidade aparece como denominador, escreva-o como quociente, e.g., g/m2; no caso de duas ou mais unidades no denominador, use exponentes negativos (e.g., g.m-2. h-1). Use "L" em lugar de "l" para litros. Use "h"para horas, e não abrevie "dia". As expressões matemáticas devem ser representadas cuidadosamente.
Se puder, escreva as fórmulas em seu formato final (por exemplo, pode usar o editor de equações incluído em MS Word ou em WordPerfect); caso contrário, escreva as mesmas de maneira suficientemente compreensível como para que possam ser alteradas ao dar-lhes seu desenho final durante a compaginação (e.g., use sublinhado para a linha fracionária, com o numerador e denominador escritos em linhas diferentes).
Inclua, ao final do trabalho, uma lista de todos os símbolos especiais não disponíveis no teclado que foram usados no texto ou epígrafes (e.g., letras gregas, símbolo de média, mais/menos, círculos e quadrados). Nomeie a mesma como "Lista de símbolos especiais" e a seguir insira cada símbolo e descreva-o brevemente (e.g., ±: símbolo mais/menos; π: letra grega pi minúscula; ≥: símbolo maior ou igual, etc.).
Uso do Itálico
Use itálico para os nomes científicos e para todos os símbolos de variáveis e constantes (letras usadas como símbolos de quantidades, e.g., n, x, F, t, Z, P, e X) exceto as letras gregas e certos termos estatísticos e matemáticos (e.g., ln, e, exp, máx, min, lim, DE, EE, CV, e g.l.).
Os símbolos devem aparecer em itálico nas ilustrações, de forma de ser consistente com o texto. Todos os nomes de livros e revistas periódicas devem estar em itálico. Só muito ocasionalmente o itálico deve ser usado para dar ênfase.
Agradecimentos
Devem ser breves e específicos, limitados às contribuições diretas ao manuscrito e à pesquisa envolvida. Mencione apenas as iniciais e o sobrenome das pessoas a quem agradece, sem incluir sua afiliação institucional. Coloque nesta seção os reconhecimentos a cargos, instituições e subsídios que considere pertinente e que não façam parte de sua afiliação institucional (detalhada na folha de rosto).
Bibliografia
Antes de enviar o manuscrito, reveja cada citação no texto e em sua lista de Bibliografia, para certificar-se de que coincidam exatamente (autores e data) e que cumprem com os detalhes bibliográficos requeridos.
É preferível, mas opcional, detalhar o número total de páginas e o lugar de publicação dos livros (no caso de publicadores internacionais ou de grande distribuição; entretanto, detalhe cidade e país quando se trate de publicadores locais ou publicações de circulação restrita).
Na lista de Bibliografia, escreva os sobrenomes completos de até seis autores (ou detalhe os cinco primeiros e use "et al." para o resto).
Para trabalhos em trâmite de publicação, use "no prelo" para substituir a data em sua citação no texto e na lista de Bibliografia, e considere a mesma como a publicação mais recente para a ordem cronológica. A lista deve estar de acordo, em ordem e pontuação, com as de recente aparecimento em Ecologia Austral (note que os autores levam só as iniciais em maiúsculas e o resto do sobrenome em minúsculas ou versais; as iniciais dos nomes vão em maiúsculas e sem ponto nem separação de espaço). A seguir, alguns exemplos (com notas entre colchetes):
Autor1, AB & BC Autor2. 1989. Título do artigo. Título Abreviado da Revista em Itálico, 00(0):000–000.
Autor1, AB; B Autor2; CD Autor3; DE Autor4; FG Autor5 et al.[se fossem mais de seis] (eds). No prelo. Título do livro em itálico. Publicador. [opcional: Cidade, País. 000 pp.]
Autor1, A & B Autor2, Jr. 1989. Título do capítulo. [Número do capítulo] Pp. 00–00 em: AB Editor (ed.). Título do livro em itálico. Vol. 1. 2da ed. Publicador. [opcional: Cidade, País. 000 pp.]
Autor, A. 1989. Título do trabalho com iniciais em minúscula e em itálico. Tese de doutoramento, Universidade. [Cidade, se não resulta óbvio a partir do nome da Universidade, e País].
Para manuscritos em inglês, substitua "em:" por "in:" e "No prelo" por "In press" na lista inteira, independentemente do idioma do título da citação (ver a versão em inglês destas instruções). Nos manuscritos em português se esperam alterações similares. Não use a expressão "ibid."(ibidem, como o anterior) na lista bibliográfica: todos os detalhes da referência devem estar em cada uma das citações.
Todos os nomes de publicações periódicas devem estar abreviados conforme a Biological Abstracts ou outro padrão reconhecido. Se desconhece um título breve escreva o nome completo.
As referências bibliográficas devem estar ordenadas alfabeticamente na Bibliografia. Em caso de sobrenomes complexos e/ou em outro idioma, usualmente a maiúscula indica a ordem alfabética correta (e.g., V Van Gogh na "V", mas L van Beethoven [van Beethoven, L] na "B"; O McDonald depois de "Mac"; A Di Meola na "D", mas C de Burgh [de Burgh, C] na "B"). Quando existam referências com os mesmos autores, deverão ser ordenadas cronologicamente. Se há mais de uma referência com um ou mais autores iguais, devem ser ordenadas na ordem alfabética dada pelos autores subsequentes, e depois cronologicamente.
Não inclua na Bibliografia resumos, material não publicado ou trabalhos em atas de congressos que não sejam amplamente difundidas e facilmente acessíveis. Este material pode ser citados no texto como observação pessoal (por um ou vários autores do presente trabalho, citando-o como "Autor1, obs. pers.", ou "obs. pers." se corresponde a todos os autores), dados não publicados (similar ao anterior, como "Autor1, dados não publ."), comunicação pessoal (informação de outros: "Autor, afiliação, com. pess."), ou comunicação pública (informação em resumos publicados, ou fornecida através da Internet mas não arquivada permanentemente: "Autor, afiliação, com. pública").
Cite as referências no texto como "Autor (Ano)" ou, entre parênteses, como "(Autor Ano)" [e.g., Pérez (1998) ou (Pérez 1998)]. Use "et al." para mais de dois autores, como em "Autor1 et al. (Ano)", e "&" para trabalhos de dois autores, como em "(Autor1 & Autor2 Ano)"]. Use letras minúsculas para distinguir trabalhos do mesmo autor no mesmo ano [e.g., Pérez et al. 1998a e Pérez et al. 1998b]. A mesma distinção das letras minúsculas deve figurar na Bibliografia. Separe com "," (vírgula) aqueles trabalhos dos mesmos autores em diferentes anos [e.g., Pérez et al. (1996, 1999)].
Faça uma lista das citações múltiplas em ordem cronológica, não alfabética [e.g., (Pérez 1996; Mengano 1999; Fulano et al. 2001)], usando ";" (ponto e vírgula) para separar referências de diferentes autores. A única exceção é quando haja vários trabalhos dos mesmos autores, que quando estejam juntos deve citar na ordem cronológica começando pelo mais antigo [e.g., (Pérez 1996, 1999; Mengano 1998; Fulano et al. 2001)].
As referências a páginas específicas de um trabalho devem ser feitas no texto, detalhando os números depois do ano, e.g. Pérez (1996:57-85); a referência na lista deve ser ao trabalho completo. No use as expressões "in litt." e "op. cit.", mas a seguinte forma: (Pérez 1967, citado em Mengano 1989). Ambas as referências devem aparecer na lista de referências.
Tabelas
Procure que sejam o mais simples possível. O epígrafe das tabelas deve estar localizado acima das mesmas, e deve permitir que as tabelas se entendam sem necessidade de ler o artigo; se corresponder, as unidades devem ser explícitas em todos os valores que acompanham uma medida ou contagem. Não deve ser repetida a mesma informação em tabelas e figuras; se ambas foram claras, é preferível uma figura. Não inclua nas tabelas nenhum tipo de informação que não se discuta no manuscrito.
As tabelas devem ser preparadas em formato de tabelas em MS Word ou WordPerfect (ou como tabelas RTF), cada uma numa página diferente. Se isto não fosse possível, separe cada campo ou dado com tabulações (nunca com espaços). Sua montagem para a largura de uma coluna (70 mm) é preferível ao de largura de página (145 mm). Não divida as tabelas em duas ou mais partes.
Não use linhas verticais e procure minimizar as horizontais. Pode usar como guia as tabelas publicadas em números recentes de Ecología Austral.
Não use um número excessivo de dígitos decimais; deveria estar de acordo com a precisão da medida.
Figuras
Cada uma deve ser auto-explicativa e deve estar referenciada no texto. Evite repetir informação em tabelas, figuras e texto. A nomenclatura, abreviaturas, símbolos e unidades usados numa figura devem coincidir com aqueles usados no texto. Sua montagem para a largura de uma coluna (70 mm) é preferível ao de largura de página (145 mm).
As figuras devem ser desenhadas em seu tamanho final no programa de origem, com o tamanho de letra entre 6 e 12 pontos (idealmente entre 8 e 10). A melhor tipografia é uma sans-serif (e.g., Arial, Helvetica, Century Gothic, Verdana, Tahoma, News Gothic) com maiúsculas só para as letras iniciais.
As figuras não devem estar dentro de caixas; procure minimizar o número de linhas (e.g., evitar as linhas superior e direita num gráfico x-y comum). Não coloque títulos ou letras identificatórias (como a), e b)) nos gráficos. Não envie figuras a cores.
Use barras e símbolos pretos, brancos (abertos) e listrados grossos. Procure evitar os tons de cinza, ou use os mesmos o mais diferentes possível (apenas 50%, ou 25%, 50% e 75%).
Os símbolos preferidos são círculos, quadrados e triângulos pretos ou brancos (abertos). Os símbolos usados num gráfico devem ter aproximadamente um tamanho final de 1.5 mm.
Na medida do possível, inclua as legendas ou chaves de símbolos dentro da ilustração, e não no epígrafe. Alguns símbolos simples podem ser incluídos dentro dos epígrafes se for imprescindível.
Sendo possível, inclua as figuras em seu arquivo de processador de textos, colando-as ou inserindo-as cada uma numa folha diferente (e.g., em Windows pode copiar e colar através da Área de Transferência) em formato WMF ou "Imagem". Por exemplo, em MS Word for Windows pode
1. copiá-las no programa original e colá-las com o comando "Edição/Colar especial…" escolhendo "Imagem" como formato de colado, ou
2. criar um arquivo com a imagem em formato "Windows Metafile" (WMF), disponível como opções de "Exportar" ou "Salvar como…" na maior parte dos pacotes gráficos, e inseri-la no processador de textos com o comando "Inserir/Imagem/Desde Arquivo...".
A imagem deve estar em seu tamanho final (de preferência 70mm de largura). Certifique-se de que a imagem no processador de textos esteja de acordo com o que deseja (e.g., tamanho de letras e símbolos), já que assim se verá na versão impressa; desenhá-la nesse tamanho no programa de origem facilita este processo. Se a figura foi elaborada em Excel, Corel Draw, Statistica para Windows, Sigma Plot ou KyPlot, além da versão no processador de textos, por favor envie também os arquivos originais das figuras.
Se por algum motivo não pode seguir algum destes procedimentos, pode "colar" as figuras ou inseri-las no arquivo do processador de texto como um arquivo de mapa de bits (o formato TIFF é o preferido; GIF, PCX ou BMP também são aceitos) de 600 ppp, em escala de cinzas (8 bits) e com seu tamanho final estimado (preferentemente para a largura de uma coluna de 70 mm; mas nunca de mais de 145 mm de largura).
Pode obter o mapa de bits a partir da aplicação original (os pacotes gráficos usualmente têm esta opção de exportação) ou "digitalizando" uma impressão de boa qualidade de sua figura. Envie também o arquivo original por separado. Preferimos que envie arquivos TIFFs sem comprimir, mas se o arquivo for grande pode enviar versões comprimidas (LZW, ZIP, ARJ).
Para figuras que consistam de mais de uma parte (e.g. parte a), b) e c)), por favor forneça as diferentes partes por separado (i.e. cole ou insira as mesmas por separado na mesma página do processador de textos), já que poderia ser necessário modificar sua disposição relativa. Cada figura deveria estar centralizada numa página diferente e com seu tamanho e orientação finais.
Se tiver dificuldade em aplicar alguns destes procedimentos, pode obter ajuda e/ou esclarecimentos por correio eletrônico do Assistente do Editor no endereço manuscritos@ecologiaaustral.com.ar.
Se por algum motivo é impossível que aplique alguns dos métodos anteriores, envie versões em papel de boa qualidade de suas figuras, seguindo as instruções de desenho, tamanho e disposição. Entretanto isto poderia implicar num aumento dos tempos de publicação de seu manuscrito.
É possível que o Assistente do Editor precise entrar em contato com o autor depois da aceitação do manuscrito para que forneça versões modificadas de suas figuras
Fotos
As fotografias só devem ser incluídas se oferecem informação essencial para entender o artigo. Devem ser "claras" e com alto contraste. Nomeie e numere-as como se fossem figuras.
Devem ser enviadas como arquivos eletrônicos, "digitalizadas" em escala de cinzas (8 bits) pelo menos a 300 ppp, preferentemente para a largura de uma coluna (=70 mm). Salve-as como arquivos TIFF (.tif) ou GIF (.gif), disponível como formatos de exportação na maioria dos pacotes gráficos e de "digitalização". São preferíveis os arquivos TIFFs sem comprimir, mas se o arquivo é grande pode enviar versões comprimidas (LZW, ZIP, ARJ).
Se não pode seguir o método anterior, envie cópias em papel fotográfico (poderiam não ser devolvidas). Entretanto, isto poderia envolver um aumento dos tempos de publicação de seu artigo.
Mapas

Os mapas só devem ser incluídos se oferecem informação essencial para compreender o artigo. Nomeie e numere-os como se fossem figuras. De preferência calcule seu tamanho final como para uma coluna (largura=70 mm). Inclua o norte, escala gráfica e coordenadas. Do mesmo modo que nas figuras, use preto, branco, listrados e tons cinzas muito diferentes (25%, 50%, 75%), e inclua as chaves na imagem, melhor que no epígrafe. Envie-os seguindo as mesmas recomendações que para as figuras.
 

 

Envio de manuscritos

Envie os arquivos com os manuscritos ao Assistente do Editor (manuscritos@ecologiaaustral.com.ar). Utilize para os arquivos nomes que comecem com o sobrenome do primeiro autor e depois de um travessão as cinco ou seis primeiras palavras do título. Se o manuscrito se encontra em mais de um arquivo acrescente no final do nome a identificação necessária (e.g., Texto, Fig1, Fig2, Tabela1, Tabela2, etc.). Por exemplo, "Castro - Exclusão Competitiva em Aves Subtropicais - Texto.doc", ou "Castro - Exclusão Competitiva em Aves Subtropicais - Fig_1.xls". Não utilize acentos, ou letras com tis (e.g., "ñ") nos nomes dos arquivos.  

 

Custo

O custo de publicação por artigo é de $ 75 (setenta e cinco pesos), aproximadamente 1.5 quotas societárias. Aqueles artigos que incluam um ou mais Sócios Ativos da AsAE se isentam de pagar os custos de publicação.  

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


2014  Asociación Argentina de Ecología

Av. San Martín 4453
(C1417DSE)
Buenos Aires
Argentina

www.ecologiaaustral.com.ar/
logo

SciELO Argentina URL: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_serial&pid=1667-782X&lng=pt&nrm=iso