logo

ISSN 0073-3407
versão impresa
ISSN 1850-4884
versão online

Intruções aos autores

 

Escopo e política

El Hornero publica resultados originais de pesquisa sobre biologia de aves. Os artigos podem ser teóricos ou empíricos, de campo ou de laboratório, de caráter metodológico ou de revisão de informação ou de ideias, referidos a qualquer uma das áreas da ornitologia. A revista está encaminhada –embora não restrita- às aves do Neotrópico. São aceitos trabalhos escritos em espanhol ou em inglês. Entende-se que os manuscritos enviados a El Hornero não têm sido publicados e/ou não estão sendo considerados para sua publicação em outras revistas.
Os manuscritos são enviados, no mínimo, a dois revisores externos (normalmente três). Os autores são convidados a sugerirem nomes (e endereços) de dois a quatro revisores potenciais de seu manuscrito, embora a decisão de enviá-lo ou não a tais pessoas seja exclusivamente do editor. O processo de arbitragem é confidencial. Os manuscritos que não se ajustem âs normas de preparação ou que não coincidam com os propósitos e orientação de El Hornero serão enviados novamente aos autores, sem passar pelo processo de arbitragem. O processo editorial –entre o recebimento original do manuscrito e a primeira decisão acerca de sua publicação- é usualmente de três meses.
O editor de El Hornero trabalha em coordenação com o editor da revista associada Nuestras Aves, na qual são publicadas observações de campo. De acordo com seu conteúdo, os manuscritos podem ser transferidos de uma publicação para a outra, prévia notificação ao autor. São de incumbência de El Hornero os seguintes tipos de informação, observações e/ou achados: (1) artigos com revisões extensivas (p.ex., não locais) da distribuição de uma espécie ou grupos de espécies, (2) registros novos ou pouco conhecidos (p.ex., que não existam citações recentes) para a Argentina e (3) registros novos de nidificação para a Argentina (p.ex., primeira descrição de ninhos). Em Nuestras Aves, ao contrário, são publicados: (1) registros de aves pouco conhecidas (mas com citações recentes) para a Argentina, (2) registros novos ou pouco conhecidos no âmbito provincial, (3) registros pouco conhecidos de nidificação, e (4) listas comentadas de espécies.
El Hornero publica na capa de cada número uma ilustração a cores sobre aves que remete ao conteúdo de algum artigo. Os autores são convidados a enviarem suas ilustrações de boa qualidade.
As contribuições podem ser publicadas em quatro seções: (1) artigos, trabalhos de extensão normal que formam o corpo principal da revista; (2) comunicações, trabalhos de menor extensão, que geralmente ocupam menos de três páginas impressas; (3) ponto de vista, artigos sobre temas de interesse ornitológico, geralmente escritos por autores convidados dos quais se esperam revisões detalhadas que resumam o estado atual do conhecimento sobre um tema ou então um enfoque criativo ou provocativo em temas controversiais; e (4) revisões de livros, avaliações críticas de livros e monografias recentes de interesse geral para ornitólogos.

 

 

Forma e apresentação de Manuscritos

Os autores devem ler cuidadosamente estas instruções antes de preparar seu manuscrito para enviá-lo a El Hornero. Prepare o manuscrito em tamanho de papel A4 (210 x 297 mm). Deixe no mínimo 25 mm em todas as margens. Todo o manuscrito deve estar escrito com espaço duplo entre linhas (incluindo resumo, tabelas, epígrafes e bibliografia). Use uma tipografia comum com serif (Courier New, Times New Roman ou equivalente) e um tamanho de letra de 12 pontos. Numere todas as páginas, incluindo texto, tabelas e figuras. Não utilize cabeçalhos nem rodapés. Não use recuos no início dos parágrafos ou títulos. Use alinhamento à esquerda e não separe palavras mediante travessões no final das linhas. Não use o retorno (enter ou return) no final de cada linha dentro de um parágrafo. Use dois retornos no final dos parágrafos (deve ficar uma linha livre entre parágrafos). Insira só um espaço entre palavras e depois dos sinais de pontuação. Em cada página numere as linhas na margem para facilitar o trabalho dos revisores e do editor.

Prepare o manuscrito da seguinte maneira: (1) folha de rosto (página 1), (2) resumo na língua original do trabalho (pág. 2), (3) resumo na língua alternativa (inglês ou espanhol) (pág. 3), (4) texto, (5) bibliografia citada, (6) tabelas, (7) epígrafes das figuras, (8) figuras.

Folha de rosto

Numere a folha de rosto como primeira página. Deverá conter (nessa ordem): (1) título completo do trabalho na língua original e na alternativa (inglês ou espanhol), em tipografia normal; mantenha o título o mais breve possível; (2) nome dos autores; (3) afiliação institucional e endereço postal de cada autor no momento em que o trabalho foi levado a cabo, identificando o autor com o qual se manterá contato durante o processo editorial; (4) endereço de correio eletrônico do autor ao qual os leitores poderão solicitar cópias do trabalho quando for publicado; (5) endereço postal atual de cada autor se ele for diferente do indicado em (3); (6) título breve, de até 50 caracteres incluindo espaços.

Resumo e abstract

O resumo na língua original do trabalho deve numerar-se como segunda página, e o resumo na língua alternativa como terceira. O resumo deve ser conciso e informativo mais que descritivo, e deve ser compreendido sem necessidade de referir-se ao texto do trabalho. Lembre-se que o resumo é usualmente o único que lerão muitos de seus leitores e, por isso, deve ser preparado com cuidado e dedicação. Inclua o propósito do estudo, os resultados mais importantes e as conclusões principais. O resumo deve estar escrito num único parágrafo de menos de 250 palavras (em artigos) ou de 100 (em comunicações). Não inclua informação estatística nem referências bibliográficas no resumo. O resumo na língua alternativa deve ser a tradução fiel do resumo na língua original do trabalho. Inclua entre quatro e oito palavras chave (e suas correspondentes key words em inglês) depois do resumo correspondente, por ordem alfabética. Selecione com cuidado as palavras chave; leve em consideração que uma boa escolha facilitará que um leitor potencial de seu artigo o encontre no índice da revista.

Texto - generalidades

Comece o texto na página 4. Escreva com precisão, clareza e economia. Procure usar a voz pasiva. Na primeira menção a uma espécie (tanto no resumo quanto no texto), use os nomes científicos completos inclusive quando já estejam no título. Não inclua identificação subespecífica a menos que seja pertinente e que tenha sido determinada criticamente. A nomenclatura científica deve seguir a utilizada nos volumes de Handbook of the birds of the world (Lynx Edicions, Barcelona) e, para as famílias não abrangidas ainda nesses livros, a de The Internet Bird Collection (URL: http://ibc.lynxeds.com/), associada a esse trabalho. Se utilizar outra nomenclatura, deve justificá-la no texto e citar a autoridade correspondente. Para os nomes comuns de aves argentinas utilize a Lista comentada de las aves argentinas (Mazar Barnett y Pearman, 2001, Lynx Edicions, Barcelona). Note-se que os nomes comuns das aves vão em maiúsculas (p.ex., Sebinho-de-Olho-de-Ouro), mas não as menções gerais (p.ex., "o sebinho cantava").

Use palavras em itálico (e nunca sublinhadas) exclusivamente para os nomes científicos, para referir-se a outras seções do trabalho (p.ex., "ver Métodos" ou "mostra-se em Resultados") e para os seguintes termos latinos: in vivo, in vitro, in utero, in situ, ad libitum, a priori e a posteriori. As expressões "e.g.," (por exemplo), "i.e.," (isto é) e "et al." (e colaboradores) devem ser utilizadas sem itálico. Não utilize negrito.

Use "." (ponto) como símbolo decimal. Separe os números em milhares utilizando um espaço quando o número seja maior de 9999. Use um zero inicial (à esquerda) para todos os números menores que 1, incluindo os valores de probabilidade (p.ex., P < 0.001). Os números de zero a nove devem ser escritos em letras, exceto quando acompanham unidades de medida, de tempo ou percentuais (p.ex., dois sabiás, 12 pinguins, 4 g, 5 dias, 3.5%). Se os números estão numa série com no mínimo um número igual ou maior a 10, então escreva todos com números (p.ex., 6 machos e 13 fêmeas). No início da oração escreva sempre o número por extenso (p.ex., "Trinta e duas carquejas..."). Use o formato horário de 24 horas, com ":" (dois pontos) como separador (p.ex., 15:45 h). Use dia, mês e ano como formato de data (p.ex., 22 de junho de 1996). Lembre-se que os nomes dos meses vão em minúsculas em espanhol. Os nomes dos meses podem ser abreviados com suas três primeiras letras e com maiúsculas (p.ex., Mai, Ago) em tabelas e figuras. Escreva os anos em forma completa (p.ex., 1994–1999). Salvando raras exceções, devem ser indicadas as coordenadas geográficas de sua área de estudo, seguindo o seguinte formato: 34º03’S, 67º54’O.

Defina todos os símbolos, abreviaturas e acrônimos a primeira vez que são usados, mas minimize seu uso para não exigir do leitor sua memorização e fazer mais agradável a leitura do artigo. No texto, quando uma só unidade aparece como denominador, escreva-a como quociente (p.ex., g/m2); no caso de duas ou mais unidades no denominador, use exponentes negativos (p.ex., g.m-2.h-1). Utilize o sistema métrico internacional (SI). Use "L" em lugar de "l" para litros. Use "h" para horas, "min" para minutos, "s" para segundos e não abrevie "dia". Abrevie "metros sobre o nível do mar" como "msnm". As temperaturas devem estar indicadas em graus centígrados (p.ex., 46°C). As expressões matemáticas devem ser representadas cuidadosamente. Se puder, escreva as fórmulas em seu formato final (pode usar o editor de equações incluído em Word); caso contrário, escreva as mesmas de maneira suficientemente compreensível como para que possam ser alteradas ao dar-lhes seu desenho final durante a compaginação (p.ex., use sublinhado para a linha fracionária, com o numerador e denominador escritos em linhas diferentes).

Utilize as seguintes abreviaturas estatísticas em itálico: n, x, y, x, P, r, R2, F, G, t, Z e U (e, em geral, todos os símbolos de variáveis e constantes). Os símbolos devem aparecer em itálico nas ilustrações, para ser consistente com o texto. Utilize as seguintes abreviaturas estatísticas e matemáticas em letras normais (sem itálicos): ln, e, exp, máx, mín, lím, DE, EE, CV, gl, ANOVA, ns, X2 (e, em geral, todas as letras gregas). Os nomes das provas estatísticas usualmente vão em maiúsculas.

Cada tabela e figura deve estar citada no mínimo uma vez no texto, e deve estar numerada em função de sua ordem de aparecimento no mesmo. Use "Fig.", "Figs.", "Tabela" ou "Tabelas" ao fazer referência entre parêntesis (p.ex., Fig. 2, Tabelas 1 e 2), mas use as formas coloquiais "figura", "figuras", "tabela" ou "tabelas" no texto principal (p.ex., "na figura 2", "como as tabelas 1 e 2").

Cite a bibliografia no texto sem usar vírgulas entre autor e ano quando está entre parênteses, utilizando "y" entre dois autores, "et al." quando são mais de dois (lembre-se que "al." sempre leva ponto), e vírgulas entre citações diferentes do mesmo ou de diferentes autores (p.ex., Wiens 1989, 1999, Wiens e Rotenberry 1991, Wiens et al. 1993). As citações múltiplas devem estar ordenadas cronologicamente (não alfabeticamente); quando estejam citados mais de um trabalho do mesmo autor, estes devem ir juntos (como no exemplo anterior). Use letras minúsculas para distinguir trabalhos do mesmo autor no mesmo ano (p.ex., Wiens e Rotenberry 1980a, 1980b). A  mesma distinção deve figurar na Bibliografia Citada. As referências a páginas específicas de um trabalho devem ser feitas detalhando os números depois do ano (p.ex., Wiens 1983:400); a referência na bibliografia deve ser ao trabalho completo. Não use as expressões "in litt." e "op. cit.", mas a seguinte forma: (Holmes 1981, citado em Wiens 1989); ambas as citações devem aparecer em Bibliografia Citada. Os manuscritos aceitos para sua publicação mas ainda não publicados devem ser citados como "en prensa", e o material não publicado como "datos no publicados", "obs. pers." (observação pessoal) ou "com. pers." (comunicação pessoal), em todos os casos indicando o nome do responsável.

Texto - organização

Organize o texto em seções com títulos internos de até três níveis hierárquicos. Escreva os títulos de nível 1 (em maiúsculas) e os de nível 2 (em minúsculas) em linhas separadas do resto do texto. Os títulos de nível 3 vão em itálico no mesmo parágrafo que o texto a seguir. Procure fazer títulos o suficientemente breves como para que entrem numa coluna (30 caracteres -incluindo espaços- para os títulos de nível 1 e 40 caracteres para os de nível 2). Os títulos de nível 1 recomendados são (respeitando a ordem): Métodos, Resultados, Discussão, Agradecimentos e Bibliografia Citada. Note-se que não há título para a introdução. As comunicações podem ou não estar organizadas em seções com títulos internos.

A primeira seção do texto (introdução), que não leva título (ver acima), deve incluir o objetivo e a significação do estudo, e deve enquadrar o mesmo no estado atual do conhecimento do tema. Faça explícitos seus objetivos. Pense que incluir seus dados num corpo teórico pré-existente e/ou num esquema hipotético-dedutivo tornarão mais atraente seu trabalho.

Métodos.- Esta seção deve dar ao leitor a informação suficiente como para que a sua pesquisa possa ser avaliada criticamente. A área de estudo pode ser descrita dentro desta seção. Utilize a seção para descrever tanto os procedimentos de tomada de dados como sua análise estatística. Em geral, deve evitar desenvolver no texto as características da prova estatística e a forma em que se procede operacionalmente; é suficiente com explicar os motivos de sua escolha e fornecer as citações relevantes da literatura.

Resultados.- Esta seção deve incluir apenas os resultados obtidos, em função dos objetivos, perguntas ou hipóteses avançadas na seção introdutória, e que serão tratados na discussão. Nunca inclua no texto a mesma informação que se apresenta em tabelas ou figuras. Seja explícito quanto aos tamanhos de amostra, bem como aos graus de liberdade, valores dos estatísticos e valores de probabilidade das análises estatísticas realizadas. Indique claramente de que variáveis está falando. Sempre que possível, acompanhe os valores médios com suas correspondentes medidas de dispersão (EE ou DE).

Discussão.- É útil começar esta seção com uma ou duas orações breves que descrevam os principais resultados de seu estudo. Depois, a discussão deveria desenvolver o significado e a importância desses resultados, em especial com relação a pesquisas prévias. A discussão deveria seguir o esquema lógico dos objetivos, perguntas ou hipóteses avançadas na seção introdutória e a apresentação desses resultados. Em geral, os resultados e as análises adicionais não devem ser apresentadas nesta seção; inclua os mesmos na seção de resultados. Para elaborar sua discussão, considere utilizar uma boa dose de saudável ceticismo e de espírito crítico.

Agradecimentos.- Devem ser breves e específicos, limitados às contribuições diretas ao manuscrito e à pesquisa envolvida. Mencione apenas o nome das pessoas a quem agradece; não inclua sua afiliação institucional.

Bibliografia

Antes de enviar o manuscrito, reveja cada citação no texto e na sua lista de bibliografia, para certificar-se de que coincidam exatamente (autores e data) e que cumprem com o formato requerido. Cada artigo citado no texto deve estar incluído na seção Bibliografia Citada e vice-versa. Verifique todas suas citações com as fontes originais, especialmente os títulos da publicação, números de volume e páginas, e ano de publicação. Na lista de bibliografia, escreva os sobrenomes completos de todos os autores.

As citações devem estar ordenadas alfabeticamente. No caso de sobrenomes complexos, usualmente a maiúscula indica a ordem alfabética certa (p.ex., A Di Giacomo no "D", mas M de la Peña no "P"). Quando houver referências com os mesmos autores, deverão ser ordenadas cronologicamente. Se houver mais de uma referência com um ou mais autores iguais, devem ser ordenadas na ordem alfabética dada pelos autores subsequentes, e depois cronologicamente.

As citações de artigos devem seguir o seguinte formato:

Mezquida ET y Marone L (2000) Breeding biology of Gray-crowned Tyrannulet in the Monte Desert, Argentina. Condor 102:205-210
Trejo A, Ojeda V y Sympson L (2001) First nest records of the White-throated Hawk (Buteo albigula) in Argentina. Journal of Raptor Research 35:169-170
Dunning JB Jr (1990) Meeting the assumptions of foraging models: an example using tests of avian patch choice. Studies in Avian Biology 13:462-470
As citações de livros, capítulos, atas, teses (e outro material) devem seguir o seguinte formato:

Ridgely RS y Tudor G (1994) The birds of South America. Volume 2. University of Texas Press, Austin
de la Peña MR (1994) Guía de aves Argentinas. Tomo 3. Segunda edición. LOLA, Buenos Aires
Hudson GE (1974) [1920] Aves del Plata. Libros de Hispanoamérica, Buenos Aires
Burger J y Gochfeld M (1996) Family Laridae (gulls). Pp. 572-623 en: del Hoyo J, Elliott A y Sargatal J (eds) Handbook of the birds of the world. Volume 3. Hoatzin to auks. Lynx Edicions, Barcelona
Wiens JA y Rotenberry JT (1980a) Bird community structure in cold shrub deserts: competition or chaos? Pp. 1063-1070 en: Nohring R (ed) Actis XVII Congressus Internationalis Ornithologici. Deutsche Ornithologen-Gesellschaft, Berlín
Cueto VR (1996) Relación entre los ensambles de aves y la estructura de la vegetación. Un análisis a tres escalas espaciales. Tesis doctoral, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires
Pezzanite B (2003) The foraging behavior of lesser snow geese and Ross’s geese on La Perouse Bay. Tesis doctoral, City University of New York, Nueva York
BirdLife International (2007) Species factsheet: Anthus chacoensis. BirdLife International, Cambridge (URL: http://www.birdlife.org/)
Escreva os nomes dos autores em versais (nunca em maiúsculas) e sem ponto nas iniciais, que deverão ir sempre depois do sobrenome. Utilize "y" (ou "and" se seu manuscrito está escrito em inglês) antes do último autor, independentemente da língua do artigo citado. O ano de publicação vai entre parênteses. Para trabalhos em trâmite de publicação, use "en prensa" para substituir a data e considere a mesma como a publicação mais recente para a ordem cronológica, indicando o nome da revista. Sempre cite o título completo da revista, em itálico. Cite os artigos em revistas editadas (p.ex., Current Ornithology, Studies in Avian Biology) como revistas e não como capítulos (ver exemplo acima). Inclua o número de volume mas não o do número particular em que apareceu o artigo. As citações não devem levar ponto final.
Cite o título completo dos livros, em itálico e com minúsculas. Sempre inclua o nome do publicador e a cidade onde foi publicado, ambos em tipografia normal, separados por vírgulas e sem ponto final. Não inclua o número total de páginas. Utilize "en" (ou "in" se seu manuscrito está escrito em inglês) depois das páginas em capítulos de livros, independentemente do idioma do capítulo citado. Os  nomes dos editores do livro devem estar citados no mesmo formato que os autores de artigos. Nas teses, o título deve ir em itálico e com minúsculas. Inclua o nome da universidade e da cidade, ambos em tipografia normal, separados por vírgulas e sem ponto final. Não inclua o número total de páginas.

Não inclua na Bibliografia resumos, material não publicado ou relatórios que não sejam amplamente difundidos e facilmente acessíveis.
Tabelas e figuras

As tabelas e as figuras devem poder compreender-se sem necessidade da leitura do texto do trabalho. Não inclua nelas informação que não se discuta no manuscrito. Não repita a mesma informação em tabelas e figuras; se ambas fossem igualmente claras é preferível uma figura. Verifique que os números (sempre arábicos) coincidam com sua referência no texto. Os epígrafes de tabelas e de figuras devem ser exaustivos; sempre inclua informação do local onde foram obtidos os dados ou a que táxons se referem. O estilo de todos os epígrafes do trabalho deve ser similar.

Cada tabela deve começar numa nova página, numerada, a seguir de seu epígrafe. As tabelas, como o resto do manuscrito e os epígrafes, devem estar escritas a espaço duplo. Devem ser o mais simples possíveis. Não use um número excessivo de dígitos decimais; este deveria estar de acordo com a precisão da medida. Tente não subdividir as tabelas em duas ou mais partes. Não use linhas verticais e tente minimizar o uso das horizontais dentro da tabela. Inclua linhas horizontais acima e abaixo dos títulos das colunas, bem como no final da tabela. Pode usar como guia as tabelas publicadas na revista. As tabelas devem ser preparadas em formato de tabela no processador de texto. Se isto não fosse possível, separe cada campo ou dado com tabulações (e nunca com espaços). Seu armado para a largura de uma coluna (70 mm) é preferível à de largura de página (145 mm).

Cada figura deve ocupar uma página separada, numerada, a seguir de uma página que contenha todos os epígrafes (titulada "Epígrafes de figuras"). As figuras não devem estar dentro de caixas; procure minimizar o número de linhas (p.ex., evitar as linhas superior e direita num gráfico x-y comum). Não coloque títulos nos gráficos. As chaves de símbolos ou outras explicações devem incluir-se textualmente no epígrafe (não inclua os símbolos mesmos no epígrafe, só sua referência), exceto quando seja difícil descrevê-los. Não envie figuras a cores. Use barras e símbolos pretos, brancos (abertos) e sublinhados grossos. Procure evitar os tons de cinza, ou use os mesmos o mais diferentes possíveis (só 50%, ou 25%, 50% e 75%). O uso de tons e sombras, em particular dentro de caixas, apresenta grandes dificuldades para ser armado e impresso. Os símbolos preferidos são círculos, quadrados e triângulos pretos ou brancos (abertos). Os símbolos usados num gráfico devem ter aproximadamente um tamanho final de 1.5 mm. A nomenclatura, abreviaturas, símbolos e unidades usados numa figura devem coincidir com aqueles usados no texto (incluindo o uso de itálicos). Todas as figuras devem ser do mesmo estilo. Não use gráficos tridimensionais. Nos mapas, inclua o Norte, a escala gráfica e as coordenadas geográficas. Armá-lo para a largura de uma coluna (70 mm) é preferível a de largura de página (145 mm). As figuras podem ser enviadas em tamanho maior, mas devem ser desenhadas em seu tamanho final, com tamanho de letra de 8 pontos para os eixos, em tipografia Arial. Evite usar muitos valores ao desenhar os eixos.
Inclua as figuras em seu arquivo de processador de textos, colando-as ou inserindo-as cada uma numa folha diferente (p.ex., em Windows pode copiar e colar através da Área de Transferência ) em formato WMF ("Windows Metafile") ou "Imagem". Por exemplo, em MS Word for Windows pode (1) copiá-las no programa original e colá-las com o comando "Edição/Colar especial…" selecionando "Imagem" como formato de colar, ou (2) criar um arquivo com a imagem em formato WMF, disponível como opções de "Exportar" ou "Salvar como…" na maioria dos pacotes gráficos, e inseri-la no processador de textos com o comando "Inserir/Imagem/Desde Arquivo…". Como foi detalhado acima, a imagem deve estar em seu tamanho final (de preferência 70 mm). Certifique-se de que a imagem no processador de textos esteja de acordo com o que deseja (p.ex., tamanho de letras e símbolos), pois assim será visto na versão impressa; desenhá-la nesse tamanho no programa de origem facilita este processo. Se a figura foi elaborada em Excel, Corel Draw, Statistica para Windows, Sigma Plot ou KyPlot, além da versão no processador de textos, por favor envie também os arquivos originais das figuras.

Se por algum motivo não pode seguir algum destes procedimentos, pode "colar" as figuras ou inseri-las no arquivo do processador de texto como um arquivo de mapa de bits (o formato TIFF é o preferido; GIF, PCX ou BMP também são aceitáveis) de 600 ppp, em escala de cinzas (8 bits) e com seu tamanho final estimado (preferentemente para a largura de uma coluna de 70 mm; mas nunca de mais de 145 mm de largura). Pode obter o mapa de bits desde a aplicação original (os pacotes gráficos usualmente têm esta opção de exportação) ou digitalizando uma impressão de boa qualidade de sua figura. Envie também o arquivo original por separado. Prefere-se o envio de arquivos TIFFs sem comprimir, mas se o arquivo for grande pode enviar versões comprimidas (LZW, ZIP, ARJ, RAR).

Para figuras que possuam mais de uma parte (p.ex., parte a, b e c), por favor forneça as diferentes partes por separado (cole-as ou insira-as por separado na mesma página do processador de textos), já que os componentes da figura podem precisar de alguma modificação de sua disposição relativa. Cada figura deveria estar centralizada numa página diferente e com seu tamanho e orientação finais.

Se tem dificuldade em aplicar alguns destes procedimentos, pode obter ajuda e/ou esclarecimentos por correio eletrônico do Editor.

As fotografias só devem ser incluídas se fornecem informação essencial para entender o artigo. Devem ser "claras" e com alto contraste. Nomeie e numere as mesmas como se fossem figuras. Devem ser enviadas como arquivos, digitalizadas em escala de cinzas (8 bits) pelo menos a 300 ppp, preferentemente para a largura de uma coluna (70 mm). Guarde-as como arquivos TIFF (.tif) ou GIF (.gif), disponível como formatos de exportação na maioria dos pacotes gráficos e de digitalização. São preferíveis os arquivos TIFFs sem comprimir, mas se o arquivo é grande pode enviar versões comprimidas (LZW, ZIP, ARJ, RAR).

 

 

Envio de manuscritos

O escritório editorial de El Hornero está localizado na Facultad de Ciencias Exactas y Naturales, Universidade de Buenos Aires, Argentina. Toda comunicação relacionada com os manuscritos ou com aspectos editoriais deve ser enviada ao editor, Javier López de Casenave, para o endereço hornero@ege.fcen.uba.ar
O manuscrito deve ser enviado por correio eletrônico. Acompanhe o manuscrito com uma carta (ou mensagem eletrônica) indicando nela explicitamente que o manuscrito é enviado com o propósito de ser publicado em El Hornero, que é inédito e que não está sendo avaliado em outra revista.
O manuscrito deve ser incluído como anexo. Devem ser incluídos em um processador de texto de arquivo normalmente usado (preferencialmente MS Word). Este arquivo deve estar no formato DOC ou RTF. Use nomes curtos para arquivos e facilmente identificáveis (p.ex., o nome do primeiro autor), sem acentos nem "ñ". Figuras e tabelas devem estar armados, inseridos ou colados no mesmo documento (ao final), cada um em uma folha separada e com sua posição (ver detalhes em "Tabelas e Figuras", abaixo). Se o manuscrito conta com mais de um arquivo, indique nos nomes dos mesmos a informção necessárias para facilitar o reconhecimento.

 

Processo editorial

Depois da primeira revisão, o manuscrito será devolvido ao autor responsável para que se incorporem as modificações solicitadas. A versão corrigida do manuscrito deve ser enviada ao editor num período de não mais de 30 dias. Acompanhe o manuscrito corrigido com uma mensagem explicando como e onde se incorporaram as sugestões dos revisores na nova versão. A versão corrigida será avaliada pelo editor, quem realizará uma correção final do texto para cumprir com padrões científicos, técnicos, de estilo ou gramaticais, e notificará o autor responsável da aceitação final do trabalho.

As provas de impressão serão enviadas ao autor responsável para sua aprovação pouco antes da impressão da revista, como um arquivo em formato PDF. As provas de impressão, que incluem as correções finais do editor, são revistas antes de ser enviadas aos autores; entretanto, é responsabilidade exclusiva dos autores revisar cuidadosamente possíveis omissões ou erros no texto, pondo especial atenção nas citações bibliográficas, fórmulas, resultados de provas estatísticas, dados em tabelas e nomes científicos. As modificações propostas devem ser mínimas. As correções às provas de impressão devem ser enviadas ao editor por correio eletrônico num prazo de não mais de sete dias. Se não chegarem nesse tempo, se procederá à impressão do artigo no mesmo estado em que se encontra nas provas de impressão.
El Hornero enviará 10 separatas impressas e uma versão em PDF do trabalho publicado ao autor responsável, em forma gratuita, uma vez editada a revista.

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


2014  Asociación Ornitológica del Plata

Depto. de Ecología, Genética y Evolución, Facultad de Ciencias Exactas y Naturales, Universidad de Buenos Aires
Piso 4, Pab. 2, Ciudad Universitaria
(C1428EHA) - Ciudad Autónoma de Buenos Aires
República Argentina

www.avesargentinas.org.ar/

SciELO Argentina URL: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_serial&pid=0073-3407&lng=pt&nrm=iso