logo

ISSN 2346-9641
versão online
ISSN 2346-9641
versão impressa

Instruções aos autores

 

Escopo e política

 

Lilloa publica trabalhos científicos originais e não submetidos simultaneamente à outras revistas, sobre botânica, micologia e ficologia, incluindo temas ecológicos, anatômicos, fisiológicos, citológicos, genéticos, palinológicos, fitogeográficos, paleobotânicos e de botânica aplicada.

Os manuscritos são avaliados por árbitros externos aos da instituição, sob o formato “duplamente anônimo”, quando suas opiniões forem divergentes, haverá uma consulta a um terceiro revisor e a decisão final será sempre do Comitê Editorial.

A revista não aceitará trabalhos que não estejam em conformidade com estas instruções. Os artigos são inicialmente revisados pelo comitê editorial, que verificará se os requisitos formais da política editorial foram atendidos. A decisão final relacionada a publicação dos artigos e resenhas são tomadas em função das opiniões dos avaliadores externos, para as quais são requeridas duas recomendações favoráveis. Uma vez avaliada pelos árbitros externos, os manuscritos que devem ser corrigidos serão enviados aos autores para sua modificação.

Na submissão recomenda-se enviar um único arquivo, no qual estejam incluídas todas as figuras em baixa resolução e tabelas (é recomendável um arquivo em formato MsWord do texto). O envio do manuscrito é através de correio eletrônico para revistalilloa@gmail.com, com uma carta apresentação dirigida ao Diretora.

Uma vez aceito o trabalho definitivo, não serão admitidas outras correções ou adendos, exceto quando ocorrer que, entre o momento da apresentação e a aceitação, tenha surgido uma importante contribuição sobre o assunto, que poderá ser incluída em um adendo final.

A revisão da composição gráfica é de responsabilidade do autor. Os editores não são responsáveis pela perda dos trabalhos, nem a Fundação Miguel Lillo e nenhum de seus membros.
 

 

Forma e preparação de manuscritos

 

A revista publica trabalhos em espanhol, inglês e português, com resumos em dois idiomas.
Os trabalho devem estar escritos em espaçamento duplo, alinhados à esquerda. A letra deve ser Arial (corpo 12). Na ordenação do texto aconselha-se conservar a seguinte sequência estrutural: Título, Autor/es, Resumo e Palavras-clave, Abstract e Keywords, Introdução, Material/ais e Método/s, Resultados, Discussão, Conclusões, Agradecimentos e Bibliografia. Se o assunto tratado exigir, o esquema proposto pode variar, desde que sua ordem seja mantida. As principais diretrizes de estilo para cada uma das partes dessa estrutura estão resumidas abaixo.

Título. - O título do artigo é escrito em maiúsculas e minúsculas, em negrito. O nome das espécies e gêneros em itálico sem incluir o(s) autor(es). Os nomes das plantas vasculares são acompanhados pelo nome da família entre parênteses (que pode incluir subfamílias ou tribos, se aplicável) separados por vírgulas. Os nomes dos táxons de plantas não vasculares, fungos e líquens são acompanhados pelo nome da Divisão e ordem ou família entre parênteses e separados por uma vírgula. Se uma região geográfica específica for mencionada, o país deve ser adicionado entre parênteses e, se necessário, a correspondente subdivisão política.
Autor/es. - Os nomes dos autores são escritos em letras minúsculas. No caso de um único autor ou primeiro autor, sobrenome seguido pelo primeiro nome completo, o segundo somente a inicial. Os trabalhos com mais autores, o primeiro nome completo, inicial do segundo e último nome (Ex.: Colotti, Maria T, Guillermo M. Suárez, Maria M. Schiavone).
Indique local de trabalho sem abreviações, endereço, código postal, cidade, estado e país. Use o índice sobre-escrito para indicar o local de trabalho dos autores, sem abreviações, somente se forem dois ou mais e trabalharem em locais diferentes. Em seguida, o endereço eletrônico do autor principal ou autor para correspondência (corresponding author) deve ser indexado.

Resumo e palavras-chave. - Os artigos devem manter a seguinte ordem: Resumo, Palavras-chave, Abstract e Keywords. Tanto o resumo quanto o "abstract" consistem em um único parágrafo (sem pontos e separados) com no máximo 300 palavras; e incluir uma breve declaração do objetivo e relevância do estudo, os materiais e métodos, os principais resultados e conclusões. Caso o trabalho contenha novidades nomenclaturais, elas devem ser indicadas nesta seção. Palavras-chave bem como as Keywords devem ser organizadas em ordem alfabética, separadas por um ponto-e-vírgula, em um número de três a cinco e não considerar palavras compostas. Recomenda-se não usar palavras incluídas no título.

Texto geral. - O manuscrito deve respeitar o esquema proposto em "preparação e formato do texto". Use apenas 2 hierarquias de subtítulos: principal (Introdução, Material e Métodos, Resultados e Discussão, Conclusão, Agradecimentos, Bibliografia) e secundários. O subtítulo principal deve estar alinhado ao centro, escrito em letras maiúsculas, sem ponto final. O subtítulo secundário deve estar em uma linha separada, alinhado à esquerda, escrita em minúsculas e em negrito. No caso de precisar de mais hierarquias de subtítulos, numere-os de acordo com a ordem a que pertençam (1.1., 1.2, 1.2.1., etc.). Nomes em latim de gêneros, espécies e categorias infra-específicas são escritos em itálico, não abrevie como sp. nov., comb. nov., var., s. l., s. str., ex. Os sinais diacríticos de cada língua devem ser respeitados (trema, tils, etc.), mesmo em letras maiúsculas. As frases não devem começar com abreviaturas ou gerúndios. Os números devem ser escritos com caracteres arábicos, exceto aqueles menores de 10 ou quando eles são usados no início de uma frase, nesse caso, use a palavra completa. Nas unidades de medida e abreviaturas dos pontos cardeais não use um ponto, por exemplo: m, mm, μm, N, S, E, O, NOA.

Tratamentos taxonômicos. - A nomenclatura será regida pelo Código Internacional de Nomenclatura Botânica. A citação bibliográfica dos táxons e sua sinonímia deve ser feita conforme indicado em http://www.tropicos.org. Um parágrafo é usado para cada basiônimo. Se o autor propõe uma lectotipificação, um sinônimo novo ou uma combinação nova deve usar respectivamente "lectótipo aqui designado", "syn. nov." ou "comb. nov. "
As chaves devem ser dicotômicas e alinhadas à esquerda, sem recuo. Evite que as alternativas constituam descrições. As chaves devem corresponder às descrições de cada táxon e os caracteres das alternativas devem ser precisamente opostas.
Exemplo:

1 Primórdio foliar grande, apical a subapical ................................... P. pseudobarbula
1' Primórdio foliar pequeno, sempre apical ..................................................... 2
2 Propágulos vermelhos a laranjas, primórdio foliar uncinado ............... P. apolensis
2' Propágulos castanho-amarelado, primórdio da folha ereto .................... P. australis

Material estudado. - Na menção dos dados, deve-se levar em consideração a seguinte ordem: País (todo maiúsculo), estado, localidade, coordenadas geográficas, altura, data (mês em algarismos romanos), coletor e número (em itálico), acrônimo que identifica onde o material está depositado (em maiúsculas e em parênteses). Exemplo: ARGENTINA Prov. Tucumán, Dpto. Tafí del Valle, 26º46'33,1''S 65º43'45,3''W, 2798 m snm, 07-VI-2009, Campero 234 (LIL).

Ilustrações. - As figuras (gráficos, desenhos e fotografias) devem ser numeradas em ordem sequencial com algarismos arábicos e, no caso de uma figura composta por várias imagens, numerá-las de forma correlata, por exemplo. Figs. 1A, 1B, etc. As figuras devem incluir uma escala. As referências das figuras em uma folha separada, colocá-las no final do texto precedido pelo nome da espécie (sem autores) e o coletor desta, número e herbário onde é depositado. Como mostrado no exemplo: Fig. 1. Zinnia peruviana. Aspecto geral A) Inflorescência com lígulas laranjas. Filotaxia oposta decussada. B) Inflorescência com lígulas vermelhas. C) Inflorescência com lígulas amarelas. Ponessa e Mercado S/N (LIL).

 

Citações e Bibliografia. - As citações ou referências da bibliográficas serão feitas seguindo as diretrizes da APA (http://www.apastyle.org/).

Citações no corpo principal do texto. - Inclua o sobrenome do primeiro autor e ano de publicação. Se houver dois, inclua ambos os sobrenomes e o ano (p.e., de la Rosa e Messuti, 2014). Se houver três a cinco autores, inclua todos os sobrenomes na primeira vez que forem citados (p.e., Silva Araújo, Alves Azevedo, Campos Silva, Strozi Alves, Meira, 2010) e as citações seguintes referem-se ao sobrenome do primeiro autor seguido de "et al." (p.e., Silva Araujo et al., 2010). Para mais de cinco autores, cite com o sobrenome do primeiro autor seguido de "et al.". No caso de autoria corporativa (instituições, ministérios, agências, organizações civis, empresas), o nome completo é citado pela primeira vez e entre parênteses a sigla é indicada. A seguir, é apenas citada com a sigla [p.e., Banco Mundial [BM] (1991)]. Nas citações seguintes, referir a sigla (p.e., BM, 1991).
No caso de várias citações ao mesmo tempo, cite cronologicamente (p.e., Dominguez, 1928; Toursarkissian, 1980; Lahitte e Hurrell, 1996; Alonso e Desmarchelier, 2005; Barboza et al., 2006, 2009).
Em caso de autoria repetida de várias citações do mesmo autor no mesmo ano, indicar o ano acompanhado de uma letra (p.e., 2011a, 2011b).
Para comunicações pessoais não publicadas, inclua o sobrenome completo do referente com a abreviatura "com. pess." e o ano (p.e., Albornoz,"com. pess", 2007).
Citações na Bibliografia.— A bibliografia incluirá as obras mencionadas no texto, organizadas em ordem alfabética e cada uma deve ter uma identação. Cada citação começa com o sobrenome do primeiro autor. Quando houver várias citações do mesmo autor, cite cronologicamente. No caso de co-autores, siga a seguinte ordem: primeiro somente publicações do autor; em segundo lugar, publicações do autor e um co-autor; depois, as publicações do autor com dois ou mais co-autores, e assim por diante. Quando o autor (ou autores) e o ano de publicação coincidirem, organize por localização e sequência no texto adicionando uma letra ao ano (por exemplo: 2011a, 2011b). Use os seguintes formatos do estilo APA:

Formato de citações para publicações periódicas


Giudice, G. E. (1999). Sinopsis de las especies argentinas del género Adiantum (Pteridaceae, Pteridophyta). Darwiniana 37, 279-300.

de la Rosa, I. N. y Messuti, M. I. (2014). Las especies del género Lecanora (Ascomycota, Lecanoraceae) en la provincia de Tucumán (Argentina). Lilloa 51 (1): 33-45.

Cibils L., Principe, R., Márquez, J., Gari, N. y Albariño, R. (2015). Functional diversity of algal communities from headwater grassland streams: How does it change following afforestation?. Aquatic Ecology 49: 453-466. doi: 10.1007/s10452-015-9538-z.

Formato de citações para livros
Lee, R. E. (2008). Phycology. New York, USA: Cambridge University Press.

Informação não publicada em revistas periódicas ou livros


Thiers, B. (2015) Index Herbariorum: a global directory of public herbaria andassociated staff. New York Botanical Garden´s Virtual Herbarium. Recuperado de http://sweetgum.nybg.org/ih

Zuloaga, F. O., Morrone, O., Belgrano, M. J. (2006). Dioscorea (Dioscoreaceae) Catálogo de las plantas vasculares de Argentina. Instituto de Botánica Darwinion. Recuperado de http://www.floraargentina.edu.ar.

As comunicações pessoais são citadas no texto, mas não são incluídas na lista de referências.

Teses e trabalhos de obtenção de grau

Suárez, G. M. (2008). Sistemática y Filogenia de las especies neotropicales del género Pohlia (Musci). (Tesis Doctoral), Universidad Nacional de Tucumán, Argentina.
 

 

Submissão de manuscritos

 

O autor receberá uma cópia eletrônica de seu artigo publicado na revista Lilloa, em formato PDF.

 

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


© 2018 Fundación Miguel Lillo
Miguel Lillo 251
T4000JFE - San Miguel de Tucumán
Tucumán - Argentina

TEL: 54 - 0381 - 451 8497
http://www.lillo.org.ar/publicaciones/lilloa
fundacion@lillo.org.ar

SciELO Argentina URL: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_serial&pid=2346-9641&lng=es&nrm=iso