SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 número11La ciudadanía juvenil como ciudadanía cultural: una aproximación teórica desde los estudios culturalesSubcultura, contracultura, tribus urbanas y culturas juveniles: ¿homogenización o diferenciación? índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

  • No hay articulos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Bookmark


Revista argentina de sociología

versión On-line ISSN 1669-3248

Resumen

GUARANA DE CASTRO, Elisa. Rev. argent. sociol. [online]. 2008, vol.6, n.11, pp. 237-256. ISSN 1669-3248.

No Brasil e em outros países da América Latina movimentos sociais rurais estão hoje se organizando a partir da identidade juventude e se apresentando como ator político. Juventude rural está sendo acionada para identificar formas organizativas que reivindicam questões gerais, mas, também, questões específicas. Por um lado, ser jovem nos movimentos sociais também carrega limitações quanto a espaço de participação, quanto a possibilidade de ser ouvido, a dificuldade de poder se colocar em um espaço de decisão. Por outro lado, outras questões se colocam para esse ator político. Essa identidade social surge no meio rural brasileiro de forma mais visível, e de forma organizada, nos anos 2000. Ou seja, uma geração que se percebe como tal e que enfrenta esse mundo rural em conflito, desigual, ainda tão distante do acesso de bens e serviços e um mundo rural distante de uma reforma agrária. Para analisarmos essas questões e discutirmos "novas práticas políticas" que hoje se apresentam no bojo desse processo proponho dois recortes. O primeiro revisitar o conceito de geração no sentido de observar as possibilidades de análise da juventude como categoria social e política. Como desdobramento desse esforço teórico, analisar os processos organizativos que se apresentam em alguns movimentos sociais rurais no Brasil hoje, à luz da concepção de geração e de processos de engajamento e participação política como construção da ação política coletiva. O segundo é analisar algumas práticas políticas de movimentos sociais rurais do Brasil a partir de suas organizações de juventude e observar as continuidades, tensões e possíveis processos de transformação nas práticas políticas da juventude rural.

Palabras llave : Juventude; Engajamento político; Identidade política; Geração; Práticas políticas.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués