SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número4Riesgo de muerte y miocardiopatía dilatada índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

  • No hay articulos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Bookmark


Insuficiencia cardíaca

versión On-line ISSN 1852-3862

Resumen

LOBO MARQUEZ, Lilia Luz. Monitoramento hemodinámico: PIU AVANTI!. Insuf. card. [online]. 2007, vol.2, n.4, pp. 149-152. ISSN 1852-3862.

A dificuldade de reconhecer clinicamente o verdadeiro estado hemodinâmico de um paciente com insuficiência cardíaca (IC) crônica descompensada estimula a idéia de realizar um monitoramento invasivo com cateter de Swan Gang nesta população. O estudo ESCAPE comparou a manipulação terapêutica guiada por variáveis clínicas com a manipulação guiada por monitoramento hemodinâmico (MH). Não se observaram diferenças significativas nos pontos finais de morte ou hospitalização aos 6 meses de seguimento. Dada à falta de um protocolo de manipulação terapêutico endovenoso predeterminado para o ajuste das variáveis hemodinâmicas encontradas e havendo deixado tal intervenção a critério médico, os resultados obtidos no grupo invadido poderiam ter sido influenciados pela heterogeneidade da manipulação clínica. Existe uma população não analisadas no ESCAPE, que se refere aos pacientes com clara indicação de MH, ou seja, pacientes refratários, instáveis hemodinamicamente, com IC avançada. São estes pacientes os candidatos para uma terapia de sobrevida. Obviamente, devemos tratar de indicar a nossos pacientes aquelas medicações que sabemos que não terão impacto negativo no prognóstico imediato nem em longo prazo. Acreditamos que o conhecimento das variáveis hemodinâmicas com o uso do monitoramento ambulatório contínuo em pacientes com falha cardíaca crônica, poderia ter um impacto diferente ao observado no estudo ESCAPE.O uso destes novos dispositivos permitiria a manipulação ambulatória da terapia via oral, tratando de evitar a congestão hemodinâmica. Não é que o conhecimento e manipulação das variáveis hemodinâmicas não resultariam úteis, somos nós os que ainda não sabemos como manipular estes valiosos dados

Palabras llave : Insuficiencia cardíaca; Variables clínicas; Monitoreo hemodinámico.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · pdf en Español