SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número1Características del síndrome metabólico en la consulta cardiológica: Grupo de estudio CARISMA (Caracterización y Análisis del Riesgo en Individuos con Síndrome Metabólico en la Argentina)Péptido natriurético cerebral en pacientes con insuficiencia cardíaca o con factores de riesgo para su desarrollo índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

  • No hay articulos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Bookmark


Insuficiencia cardíaca

versión On-line ISSN 1852-3862

Resumen

ECHAZARRETA, Diego F. et al. Tratamento crônico com inibidores da PDE-5 em pacientes portadores de insuficiência cardíaca avançada. Insuf. card. [online]. 2008, vol.3, n.1, pp. 16-20. ISSN 1852-3862.

Introdução. A persistente elevação das resistências vasculares pulmonares (RVP) nos pacientes portadores de insuficiência cardíaca avançada (ICA) é o resultado da disfunção do endotélio vascular pulmonar e do remodelado estrutural do mesmo. A diminuição na oferta de óxido nítrico (ON) e o aumento das endotelinas (ET) potencializam os fenômenos vasoconstritores alterando o equilíbrio presente com os mediadores da vasodilatação. Sildenafil (um inibidor seletivo da fosfodiesterasa 5) pode constituir-se em uma ferramenta válida para aumentar os níveis de ON e favorecer o descenso das resistências vasculares pulmonares em pacientes portadores de ICA. Material e métodos. Selecionaram-se 30 pacientes portadores de ICA em dois grupos de 15 (grupo sildenafil e controle) com fração de ejeção ventricular esquerdo (FEVE) de 31,08±3,1% em classe funcional (CF) III sob tratamento farmacológico completo, sendo avaliados mediante uma echocardiografía transtorácica (ETT) para a medição da pressão arterial pulmonar sistólica (PAPS), um test de caminhada dos 6 minutos (TC6M) e uma prova ergométrica com máximo consumo de oxigênio (PEG VO2) no início e aos 90 dias de seguimento. Durante este período administrou-se ao grupo sildenafil, uma dose oral promédio da droga de 75,4±13 mg/dia. Resultados. Demonstrou-se melhoria no grupo sildenafil para ambos tests funcionais: TC6M (grupo sildenafil: dia 0: 144,2±42,1 m vs dia 90: 171,5±56,8 m p: 0,052) e na PEG VO2 (grupo sildenafil: dia 0: 11,4±1,3ml/Kg/minuto vs dia 90: 12,3±1,4 ml/kg/minuto; p: 0,001). Também, observou-se um descenso da PAPS (grupo sildenafil: dia 0: 36,2±6,9 mm Hg vs dia 90: 33,8±6,1 mm Hg; p: 0,001); Na pressão arterial sistólica -PAS- (grupo sildenafil: dia 0: 124,6±13,2 mm Hg vs dia 90: 116,2±9,5 mm Hg; p: 0,008) e a pressão arterial diastólica -PAD- (grupo sildenafil: dia 0: 70,8±4,9 mm Hg vs dia 90: 65,3±4,3 mm Hg; p: 0,000). Conclusões. O presente estudo demonstra que a administração de sildenafil oral em doses promédio de 75,4±13 mg/dia é segura e melhora em forma significativa o desempenho funcional de pacientes portadores de uma ICA.

Palabras llave : Insuficiência cardíaca; Hipertensão pulmonar; Sildenafil; Fosfodiesterasa tipo 5.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · pdf en Español