SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1Inflamación y disfunción endotelial en la insuficiencia cardíaca aguda y crónica índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

  • No hay articulos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Bookmark


Insuficiencia cardíaca

versión On-line ISSN 1852-3862

Resumen

FLORIO, Lucía; VIGNOLO, Gustavo; CENTURION, Raúl  y  POUSO, Jorge. Cálculo da resistência vascular sistêmica por ecocardiografia na insuficiência cardíaca crônica. Insuf. card. [online]. 2012, vol.7, n.1, pp. 2-9. ISSN 1852-3862.

Introdução. Os inibidores da enzima conversora da angiotensina e bloqueadores dos receptores da angiotensina melhoram o prognóstico na insuficiência cardíaca (IC), embora muitos pacientes não recebem doses recomendadas. Objetivo. Determinar-se o conhecimento da resistência vascular sistêmica (RVS) por ecocardiografia aumenta a percentagem de pacientes tratados com dose ótima. Material e métodos. Foram incluídos pacientes com IC por disfunção sistólica sem contra-indicação para enalapril/losartán. A dose ótima foi considerado enalapril/losartán ≥20/25 mg/dia. Foram randomizados para ajustar o tratamento com enalapril/losartán de acordo com a clínica e resistência vascular sistêmica contra apreciação clínica exclusiva (Grupos A e B). No grupo A uma RVS ≥1200 dinas.seg.cm-5 foi indicativo de doses crescentes de enalapril/losartán pelo menos 25%, até atingir os 40 mg de enalapril foi além de losartán 25 mg a 50 mg ou contra-indicações. Foi avaliada a variação percentual em pacientes que receberam doses-alvo entre entrada no hospital e controle final. Resultados. Foram incluídos 70 pacientes, 50 eram do sexo masculino, idade 60 ± 12 anos, 30 em classe funcional I, com uma RVS de 2033 ± 802 dinas.seg.cm-5. O tempo de seguimento foi de 12,3 meses. Não houve diferenças significativas basais entre os dois grupos. No final do seguimento, o grupo A mostrou uma porcentagem significativamente maior de pacientes com dose ótima de enalapril/losartán (50% versus 64%, P <0,01), o grupo B mostrou uma diminuição na mesma percentagem (59% versus 47%, P <0,05). Conclusão. O cálculo ecocardiográfico de RVS aumenta a porcentagem de pacientes com insuficiência cardíaca receberam a dose ótima de enalapril/losartán.

Palabras llave : Insuficiência cardíaca; Resistência vascular sistêmica; Ecocardiografia; Inibidores da enzima conversora.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español