SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 issue41El voyeurismo virtual: Aportes a un estudio de la intimidadRedes imaginarias y ciudades globales: El caso del stencil en Buenos Aires (2000-2007) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

  • Have no cited articlesCited by SciELO

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Bookmark


Cuadernos del Centro de Estudios en Diseño y Comunicación. Ensayos

On-line version ISSN 1853-3523

Abstract

EIRIZ, Claudio. El oído tiene razones que la física no conoce: De la falla técnica a la ruptura ontológica. Cuad. Cent. Estud. Diseño Comun., Ens. [online]. 2012, n.41, pp. 59-80. ISSN 1853-3523.

O presente artigo descreve cómo Pierre Schaeffer, a partir duma falha técnica e dum descobrimento fortuito, entrou numa discussão com a acústica musical da época, e sentou as bases para incluir aos estudos do som no estudo do paradigma da complexidade. A partir do análise do "Tratado dos objetos musicais" intenta-se provar cómo Pierre Schaeffer confronta com as teses reducionistas; com as visões simplificantes sobre a causalidade e com o pensamento que se funda no dilema sujeito-objeto. Além disso se faz un esboço de hipótese que diz que a teoria das escutas de Schaeffer pode ser interpretada como uma semiologia ao serviço de desentranhar os complexos processos de simbolização do sonoro e musical. Por último se faz referência à concepção que está por embaixo da ideia de objeto sonoro. Neste sentido se resgata um paradigma olvidado na obra de Schaeffer: a dialética objeto-estrutura. Esta dialética presupõe a discontinuidade e a jerarquia como os princípios básicos da ontologia da complexidade.

Keywords : Escuta; Complexidade; Música; Objeto sonoro; Schaeffer; Som.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · pdf in Spanish